Revista de Economia e Administração – vol. 9 – n° 1

Insper Instituto de Ensino e Pesquisa

Sumário

Demand for lottery products: an international study

Maria João Kaizeler e Horácio C. Faustino ………………………………….01-16

Governança, risco e desempenho das companhias abertas brasileiras

Valdir de Jesus Lameira, Walter Lee Ness Júnior,

Patrícia Pereira da Silva, Luiz Felipe Jacques da Motta e

Marcelo Cabús Klötzle……………. …………………………………………….. 17-76

Atração de alunos para a graduação em Administração: estudo multicaso sobre os fatores de atratividade em cursos superiores de Joinville, SC

Emerson Wagner Mainardes e

Maria José Carvalho de Souza Domingues …………………………………..77-93

Is the Federal Funds rate stationary? New evidence from P-ADF

Erik Alencar de Figueiredo e Claudio Djissey Shikida …………………….94-101

Carteira benchmark para avaliação de desempenho de fundos de pensão

Francisco de Resende Baima e

Newton Carneiro Affonso da Costa Jr. ……………………………………….102-121

Planejamento e orçamento na visão dos gestores de instituições particulares de ensino superior em Natal-RN

Gustavo Adolfo Maia Patricio Lacerda Lima e

Rodrigo José Guerra Leone ………………………………………………………122-150

Demand for lottery products: an international Study

Maria João Kaizeler

Horácio C. Faustino

Resumo

Variedades de loterias estão regularmente disponíveis em mais de metade dos países do mundo. Ao se considerar a probabilidade de ganhar o primeiro prêmio de uma loteria, tem-se uma noção da falta de lógica na compra de bilhetes de loteria. O que suscita a pergunta: por que as pessoas compram bilhetes de loteria? Este trabalho investiga os aspectos sócio-econômicos e demográficos que ajudam a explicar tendências de comportamento na compra de produtos de loteria no mundo. Usando uma análise de regressão linear múltipla, o estudo emprega dados macroeconômicos e variáveis qualitativas para explicar a variação das vendas de bilhetes per capita de um país. Alguns resultados bastante interessantes são obtidos. Por exemplo, quanto mais elevado o nível educacional de um país, e maiores as proporções de apostadores do sexo masculino e de religião cristã, maiores são as vendas de bilhetes de loteria. A relação entre essas vendas e PIB per capita tem a forma de um U invertido: as vendas crescem com o nível da renda per capita até certo nível, e a partir daí começam a cair. Estes resultados são interessantes porque sugerem uma ligação entre certas características sócio-econômicas e demográficas e o comportamento do consumidor, e podem impulsionar o uso de tais características na pesquisa do comportamento do consumidor.

Palavras-chave: Apostas; Loterias; Educação; Religiosidade; Cultura; Comparações internacionais.

Governança, risco e desempenho das companhias abertas brasileiras

Valdir de Jesus Lameira

Walter Lee Ness Júnior

Patrícia Pereira da Silva

Luiz Felipe Jacques da Motta

Marcelo Cabús Klötzle

Resumo

Nesta pesquisa procurou-se estimar a qualidade da governança praticada por uma amostra significativa de companhias abertas brasileiras, por meio de um índice composto por 20 perguntas de respostas binárias, entre 2002 e 2006, e relacioná-la com indicadores de risco e desempenho dessas companhias. Após a aplicação inicial do teste de Hausman envolvendo as relações entre governança e as variáveis ROE (return on equity) e ETS (ebit-to-sales), pelo lado do desempenho; as variáveis MTS (market-to-book sales) e MTBV (market-to-book value), representando a variável valor; e o WACC (weighted average cost of capital), pelo lado do risco, constatou-se a existência de endogeneidade nas relações envolvendo tais variáveis. Dessa forma, estudaram-se as relações entre as variáveis de desempenho, risco e valor com a variável de governança por meio de um sistema de equações estruturais. Verificou-se a existência de relações estatísticamente significativas entre maiores níveis de governança, menores riscos, maior valor e melhores desempenhos.

Palavras-chave: Governança; Risco; Desempenho; Endogeneidade; Equações estruturais.

Atração de alunos para a graduação em Administração: estudo multicaso sobre os fatores de atratividade em cursos superiores de Joinville, SC

Emerson Wagner Mainardes

Maria José Carvalho de Souza Domingues

Resumo

Em um mercado de ensino superior competitivo, como é o caso do Brasil, oferecer um ensino que atenda as expectativas de alunos e do mercado de trabalho tem sido fundamental para atrair e reter alunos em uma instituição de ensino superior (IES). Este estudo objetivou determinar os fatores do curso de graduação em administração que levam à atração de novos alunos nas IES que oferecem esta graduação em Joinville, SC. Primeiro, buscaram-se estudos que tratam da atratividade de estudantes, encontrando-se seis atributos que medem a atratividade de alunos para um determinado curso de graduação. Em seguida, realizou-se uma pesquisa quantitativa-descritiva junto aos alunos que recém ingressaram em quatro das cinco IES que oferecem o curso de administração em Joinville, SC. Aplicou-se um questionário estruturado junto a 409 alunos destas quatro IES. Na análise, caracterizaram-se estes novos alunos e identificaram-se os atributos mais e menos importantes que os levaram a optar pelo curso e pela IES. Estes fatores foram a qualidade do curso e a relação entre a teoria e a prática. Os alunos mostraram que se sentiram atraídos pelo curso e pela IES escolhida, e ressaltaram que a imagem da qualidade pedagógica do curso no mercado foi o fator determinante para a escolha do mesmo.

Palavras-chave: Atratividade de alunos; Graduação em Administração; Marketing educacional;Regressão linear múltipla.

Is the Federal Funds rate stationary? New evidence from P-ADF

Erik Alencar de Figueiredo

Claudio Djissey Shikida

Resumo

Testes econométricos convencionais da hipótese de raiz unitária não levam em conta a existência de não linearidades e dados não gaussianos de uma forma adequada. Este trabalho adiciona à literatura sobre a estacionariedade da taxa de Fundos Federais (FFR) usando estimadores M e P-ADF para lidar adequadamente com não linearidades. Os resultados indicam que a série de FFR não é estácionária.

Palavras-chave: Política monetária; Taxa de fundos federais; Estacionariedade; Raiz unitária.

Carteira benchmark para avaliação de desempenho de fundos de pensão

Francisco de Resende Baima

Newton Carneiro Affonso da Costa Jr.

Resumo

Este trabalho propõe uma carteira benchmark, denominada Índice dos Fundos de Pensão – IFP, para representar os investimentos dos fundos de pensão brasileiros. Neste índice, estão contempladas as participações das classes de ativos e seus respectivos retornos, ambos com base em seus valores de mercado. Para esse efeito, foi utilizada uma amostra do banco de dados da Associação Brasileira dos Fundos de Pensão – ABRAPP, de 24 fundos de pensão com ativos totais de R$ 250,2 bilhões em 31.12.2006, representando 58,6% do total dos investimentos de todos os fundos de pensão brasileiros. O período amostral compreendeu os meses de janeiro de 1998 a dezembro de 2006. Utilizou-se tanto o IFP quanto o Ibovespa para avaliar o desempenho dos investimentos dos fundos de pensão. Os indicadores de desempenho revelaram que os fundos de pensão apresentaram resultados compatíveis com suas características de risco e diversificação, tendo o retorno, na média, superado o do IFP. Os fundos apresentaram baixo risco, e o alfa de Jensen, o índice de Treynor e o índice de Sharpe apresentaram-se positivos para a maioria dos fundos. Demonstrou-se que o beta, o alfa de Jensen e o índice de Treynor são estatisticamente diferentes quando se utiliza como carteira de mercado o IFP ou o Ibovespa, e que a carteira de mercado escolhida para se avaliar o desempenho dos investimentos dos fundos de pensão deve ser aquela que melhor reflita as características dos investimentos daqueles fundos.

Palavras-chave: Fundos de pensão; Carteira benchmark; Desempenho de investimentos.

Planejamento e orçamento na visão dos gestores de instituições particulares de ensino superior em Natal-RN

Gustavo Adolfo Maia Patricio Lacerda Lima

Rodrigo José Guerra Leone

Resumo

O presente estudo tem como objetivo geral descrever a visão dos gestores das IES privadas de Natal sobre ferramentas de planejamento e orçamento, e como objetivos específicos: (1) identificar o conhecimento desses gestores sobre essas ferramentas, (2) apontar a importância atribuída ao seu conhecimento e (3) investigar a relação que estabelecem entre as mesmas. Para atingir esses objetivos, realizou-se uma pesquisa descritivo-quantitativa, cuja coleta de dados se deu por meio de um questionário estruturado, proposto originalmente por Vendramini (1996), aplicado a uma amostra de 31 gestores. Os resultados obtidos indicaram a existência de um perfil único de gestor, dada a similaridade de interpretações e opiniões colhidas: nível de conhecimento elevado sobre planejamento e apenas razoável sobre orçamento e maior importância dada ao planejamento, por conseqüência imediata do menor conhecimento da conceituação básica de orçamento. Como sugestão para trabalhos futuros, acredita-se que esse diagnóstico permitirá o desenvolvimento e a verificação de planos de ação que visem ao aprimoramento administrativo-financeiro dos gestores de cursos de graduação de IES privadas.

Palavras-chave: Instituições privadas de ensino superior; Planejamento; Orçamento; Gestão acadêmica; Gestão econômico-financeira.

 

voltar

 Insper – Revista de Economia e Administração – 10 anos

Insper
linkedin facebook twitter youtube flickr

Insper

Rua Quatá, 300 - Vila Olímpia
- São Paulo/SP -
Brasil
| CEP: 04546-042
| Tel:
(11) 4504-2400

Webmail | Intranet Corporativa
Todos os direitos reservados

Mapa do site Notícias Acessibilidade Fale conosco