Revista de Economia e Administração – vol. 11 – n° 2

Insper Instituto de Ensino e Pesquisa

Sumário

Padrão de especialização no comércio exterior, tecnologia
e crescimento econômico do Brasil

Alex Sander Souza do Carmo, Hermes Yukio Higachi e
Augusta Pelinski Raiher ……………………………………..139-166

Gestão de risco nas empresas do segmento Novo Mercado:
um estudo exploratório

Hong Yuh Ching e Thalita Maricone Colombo
…………………………………………………………………………………..167-187

Criação de valor e comportamento do consumidor:
um estudo exploratório em uma universidade do interior
do Estado de São Paulo

Lucas Cerqueira Lazier e Lesley Carina do Lago Attadia Galli
………………………………………………………………188-210

Testando modelos de precificação de opções: análise das
opções de compra sobre contratos futuros de café arábica
na BM&FBOVESPA

 

Julyerme Matheus Tonin e Alexandre Bragança Coelho ………………………………………………………………………211-234

Modelo de previsão de preços: um estudo para o algodão brasileiro

Greigiano José Alves, Marília Fernandes Maciel Gomes,
João Eustáquio de Lima e Marco Túlio M. Gomes

…235-249

O perfil do Chief Information Officer (CIO) e a sua percepção
com relação aos arranjos de governança de TI

 

Cláudio Márcio Campos de Mendonça e
Manoel Veras de Sousa Neto
…………………………………………………250-272

Padrão de especialização no comércio exterior, tecnologia e crescimento econômico do Brasil

O objetivo deste trabalho é mostrar a existência de conexão entre o padrão de especialização produtiva no comércio exterior, o nível tecnológico e o crescimento econômico do Brasil.

Busca-se identificar o padrão de especialização produtiva do Brasil no comércio exterior no período de 2000 a 2008, analisando-se as suas implicações para o crescimento econômico brasileiro e verificando-se se o mesmo é restrito pelo balanço de pagamentos. Para isso, foram estimadas as elasticidades-renda ponderadas das exportações e importações dos setores produtivos do país, dividindo-os em níveis tecnológicos e mensurando-se os seus pesos nas exportações/importações totais. Por fim, utilizando-se a abordagem da Lei de Thirlwall Multissetorial (LTMS), comparou-se a taxa de crescimento econômico per capita obtida via LTMS à taxa de crescimento efetiva do país.

Gestão de risco nas empresas do segmento Novo Mercado: um estudo exploratório

São dois os objetivos desse trabalho: avaliar em que nível de evolução a gestão de risco se encontra nas empresas brasileiras de capital aberto e identificar o que elas têm feito para gerenciar os riscos dos seus negócios. A metodologia decorre de uma pesquisa documental e exploratória.

Exploratória, pois se pretende obter visão e conhecimento sobre um determinado fenômeno. Uma análise de conteúdo foi utilizada nos Formulários de Referência de 2011 para analisar e sumarizar as informações sobre gestão de risco. Uma amostra de 60 empresas, extraída do universo das 120 empresas do segmento Novo Mercado da BM&FBovespa, foi escolhida de forma randômica. Podemos concluir que a maioria das empresas da amostra encontra-se ainda no nível básico de evolução. Em dois tópicos – mensuração de risco e estrutura organizacional – algumas empresas apresentam evolução para o nível mediano. Quanto ao segundo objetivo, entendemos que elas vêm adotando uma postura conservadora e preventiva que visa a mitigação dos riscos, redução das perdas e segurança dos seus patrimônios. Contudo, em se tratando de empresas do Novo Mercado, poderíamos esperar que elas fizessem melhor uso das informações externas para promover a eficiência da sua governança.

Criação de valor e comportamento do consumidor: um estudo exploratório em uma universidade do interior do Estado de
São Paulo

O presente estudo tem como objetivo identificar de que forma os alunos de uma universidade são influenciados a continuar na instituição apesar da concorrência possuir mensalidades menores. Os dados teóricos foram obtidos através de pesquisa bibliográfica e assim foram apresentados os principais conceitos correntes acerca do tema de estudo: marketing voltado para a criação de valor e variáveis influenciadoras no comportamento do consumidor (mercado, economia, sustentabilidade, características pessoais, etc.). Já os dados práticos foram obtidos a partir da aplicação de questionário com perguntas predeterminadas. A partir dos dados obtidos foram feitas as análises necessárias para descrever os valores percebidos pelos alunos que os influenciam a continuar na instituição, bem como os motivos que os levaram a escolher cursar a graduação em uma universidade em detrimento de centros universitários e faculdades. As análises feitas constataram que os alunos percebem os valores oferecidos pela instituição como algo importante nesta escolha.

Testando modelos de precificação de opções: análise das opções de compra sobre contratos futuros de café arábica na BM&FBOVESPA

No presente estudo, buscou-se testar a precificação de opções de compra sobre contratos futuros de café arábica na BM&FBOVESPA com os seguintes modelos: fórmula de Black (1976), Barone-Adesi e Whaley (1987), Bjerksund e Stensland (1993), binomial e trinomial. Além da preocupação com a identificação da volatilidade mais apropriada a ser utilizada na precificação de opções agropecuárias, deu-se especial atenção aos resultados em diferentes estratos da amostra: diferentes vencimentos, graus de moneyness e maturidades distintas. Além da análise em distintos estratos da amostra, a construção de uma série do primeiro vencimento em aberto que reflita o maior volume de contratos negociados para o cálculo da volatilidade histórica, a preocupação com a volatilidade intradiária e a utilização da volatilidade implícita “no dinheiro” são as principais contribuições metodológicas do presente estudo. Os resultados mostram a

melhor precificação com a utilização da volatilidade implícita; porém, dentre as volatilidades históricas, o procedimento de Garman e Klass (1980) contribui para reduzir os erros de precificação. Além disso, identificou-se o fato estilizado conhecido com sorriso da volatilidade.

Modelo de previsão de preços: um estudo para o algodão brasileiro

A administração de risco é de vital importância para as atividades afetadas pela volatilidade de preços. Esta volatilidade, por sua vez, afeta diretamente a capacidade financeira de um investimento, sendo necessária a utilização de mecanismos que possam atenuar este risco. Para este objetivo, a previsão econômica é uma ferramenta que vem sendo muito utilizada na literatura pesquisada. Neste caso, utiliza-se um modelo de previsão, de modo a construir uma previsão de preços, obtendo informações quanto à evolução do preço, diminuindo a incerteza associada à volatilidade de preços. No presente trabalho, foi construída uma previsão de preços para o algodão brasileiro, utilizando-se para tal fim a metodologia proposta por Box e Jenkins (modelo ARIMA) e um modelo estrutural. Neste trabalho, pode-se concluir que ambos os modelos se ajustam bem à série de dados, tendo o modelo estrutural produzido resultados melhores que o modelo ARIMA.

O perfil do Chief Information Officer (CIO) e a sua percepção com relação aos arranjos de governança de TI

A governança de TI ganhou mais importância devido à necessidade de alinhamento da estratégia de negócios com a TI. O artigo tem como objetivos a identificação do perfil do CIO de uma capital brasileira, o seu perfil de decisão e uma comparação da alocação dos direitos decisórios de TI ao estudo de Weill e Ross (2006). Trata-se de uma pesquisa quantitativa com o método survey descritiva envolvendo 29 gestores de TI da cidade em questão, na sua maioria de médias e grandes empresas. Os resultados indicaram a baixa formação acadêmica dos CIOs, além do pouco conhecimento e utilização das melhores práticas de mercado (ITIL e COBIT). Em conformidade com a pesquisa do ITGI, estão a importância da TI para o negócio e o alinhamento estratégico do negócio e da TI, e divergências com relação ao vínculo hierárquico atrelado ao diretor executivo e não ao financeiro; não possuem o mesmo nível do comitê executivo e não participam das decisões estratégicas do negócio. Quanto à alocação dos direitos decisórios houve predominância do arquétipo Monarquia de TI nas decisões sobre princípios de TI (51,%), na arquitetura de TI (72,4%), nas estratégias de infraestrutura de TI (75,9%) e nas necessidades de aplicações de negócio (41,4%), mas foi observado um percentual relativamente elevado em investimentos em TI (27,6%), embora tenha fica abaixo do arquétipo Duopólio (34,5%).

voltar

 Insper – Revista de Economia e Administração – 10 anos

Insper
linkedin facebook twitter youtube flickr

Insper

Rua Quatá, 300 - Vila Olímpia
- São Paulo/SP -
Brasil
| CEP: 04546-042
| Tel:
(11) 4504-2400

Webmail | Intranet Corporativa
Todos os direitos reservados

Mapa do site Notícias Acessibilidade Fale conosco