Revista de Economia e Administração – vol. 1 – n° 1

Insper Instituto de Ensino e Pesquisa

Sumário

Avaliação de projetos e orçamentação de capital: teoria de opções reais vs. simulação Monte Carlo

Carlos Patricio Samanez e

Savio H.G. Levi …………………………………………………………..01

Proposta de um modelo econômico para medir a vantagem competitiva em empresas industriais

Roberto Giro Moori e

Ricardo Teixeira Ávila ………………………………………………….21

Arbitrage Pricing Theory (APT) e variáveis macroeconômicas: um estudo empírico sobre o mercado acionário brasileiro

Adriana Schor,

Marco Antonio Bonomo e

Pedro Valls ………………………………………………………………..38

Análise de segmentação utilizando o procedimento de Chi-Square Automation Interaction Detection (CHAID)

Ana Augusta Ferreira de Freitas e

Luiz Fernando Heineck ………………………………………………….64

A imagem das instituições de ensino superior e a qualidade do ensino de graduação: a percepção dos acadêmicos do curso de administração

Adriane Bayerl Neves e

Cleber Fagundes Ramos ………………………………………………..75

Resumo

1. Avaliação de projetos e orçamentos de capital: teoria de opções reais vs. Simulação Monte Carlo

Carlos Patrício Samanez

Sávio H. G. Levi

Resumo

Neste artigo, os problemas de avaliação de projetos em condições de incerteza são resolvidos no contexto da análise de ativos contingentes, empregando argumentos de inexistência de arbitragem, e através do cálculo do Valor Presente Líquido Estratégico. A flexibilidade gerencial existente é modelada por uma série de opções relacionadas ao timing do investimento e à escolha de uma política de produção ótima. Avaliam-se concessões de exploração florestal, supondo a existência de incerteza econômica quanto ao preço da madeira, e incerteza técnica quanto à taxa de crescimento da floresta, ambas modeladas através de processos estocásticos em tempo contínuo. Alguns dos modelos matemáticos desenvolvidos não possuem solução analítica conhecida. Resultados são então obtidos através da aproximação numérica das equações diferenciais parciais utilizando fórmulas de diferenças finitas e também através da aproximação numérica direta dos processos estocásticos utilizando simulação Monte Carlo. Esta metodologia pode ser geralmente utilizada na análise de oportunidades de investimento em condições de incerteza.

2. Proposta de um modelo econômico para medir a vantagem competitiva em empresas industriais

Roberto Giro Moori

Ricardo Teixeira Ávila

Resumo

Este artigo trata da aplicação do conceito de cadeia de valor introduzido por Porter (1985). A cadeia de valor desdobra a firma em atividades estrategicamente relevantes, para se compreender o comportamento dos custos e as fontes de diferenciação existentes. Para medir e identificar as origens do impacto econômico da vantagem competitiva, utilizou-se dos conceitos desenvolvidos por Loggerenberg e Cucchiaro (1982), Miller (1984), Gold (1985 ), e mais recentemente por Saaty (1996) e Kaplan e Norton (1997). Na metodologia, o impacto econômico é medido pela alteração da lucratividade, dada pela relação lucro bruto/ativo total. O resultado pode ser proveniente de ganhos de produtividade e da recuperação dos preços. Os ganhos de produtividade decorrem basicamente da melhor utilização dos recursos físicos produtivos, que para Porter proporcionam uma vantagem de perfil de custo mais baixo. A recuperação de preços, livre dos efeitos inflacionários, é essencialmente voltada para os ganhos monetários resultantes da diferença entre a aquisição de recursos produtivos e a venda dos produtos ou serviços prestados. Neste caso, a recuperação de preços representa para Porter a vantagem de valor que proporciona ao produto um diferencial sobre os concorrentes. Para avaliar a sua eficiência, aplicou-se o instrumento à situação real de uma empresa de autopeças, fornecedora de produtos às montadoras nacionais e estrangeiras, a SABÓ Sistemas Automotivos, localizada em São Paulo, Brasil. Os resultados mostram que a aplicação do conceito é factível, apesar de dificuldades na homogeneização das medidas dos insumos, dos produtos e do ativo total. Por fim, sugere-se a ampliação do escopo do método para incorporar-lhe outros fatores de competitividade e estender a análise para períodos maiores que o considerado neste artigo.

3. Arbritrage pricing theory (APT) e variáveis macroeconômicas: um estudo empírico sobre o mercado acionário brasileiro

Adriana Schor

Marco Bonomo

Pedro Valls

Resumo

Este trabalho utiliza retornos mensais de 10 portfólios de ações negociadas na Bovespa entre 1987 e 1997, a fim de testar a validade empírica do modelo APT. Foram criadas variáveis macroeconômicas como fatores de variância comum aos diversos portfólios. Além de ter sido verificado que estes fatores representam uma explicação estatisticamente significante da relação entre os retornos dos diversos portfólios de uma maneira geral, foram encontradas evidências no sentido de validar o APT.

4. Análise de segmentação utilizando o procedimento de chi-square automation interaction detection (CHAID)

Ana Augusta Ferreira Freitas

Luiz Fernando Heineck

Resumo

Este trabalho tem como objetivo apresentar uma análise de segmentação de mercado através do uso da técnica de CHAID, exemplificando a sua aplicação em um caso para o mercado imobiliário. O banco de dados utilizado na análise consta de cerca de 3000 entrevistas com clientes potenciais que procuravam imóveis para comprar entre os anos de 1995 e 1998. As entrevistas foram conduzidas em onze diferentes cidades do Brasil, durante a realização de feiras de imóveis. Um exemplo de segmentação é introduzido para mostrar a importância da renda mensal familiar e do valor patrimonial na explicação do preço desejado de compra. Com base nestes resultados, utilizam-se os modelos de análise de variância para quantificar a diferença dos preços entre os diversos segmentos. Conclui-se pela importância do método, tanto para configuração de nichos de mercado, como para o pré-processamento dos dados através de outras técnicas que exijam limitações no número de categorias das variáveis, como nos casos dos modelos Logit

5. A imagem das instituições de ensino superior e a qualidade do ensino de graduação: a percepção dos acadêmicos do curso de administração.

Adriane Bayer Neves

Cleber Fagundes Ramos

Resumo

A presente pesquisa teve como objetivo identificar os emissores de sinais e códigos de comunicação da imagem institucional com menor índice de satisfação em instituições de ensino superior da região norte do Paraná, segundo a percepção dos acadêmicos do Curso de Administração e sua relação com a qualidade do ensino. Para a pesquisa de campo foram aplicados questionários com questões fechadas e respostas de múltipla escolha em alunos de 1º ano de graduação em Administração do período noturno, durante os anos de 1999 e 2000, em cinco instituições de ensino superior da região norte do Paraná. Da pesquisa de campo resultaram 600 instrumentos preenchidos, sendo 234 referentes ao ano de 1999 e 366 para o ano de 2000. A pesquisa teve caráter exploratório e os resultados são apresentados e analisados de forma descritiva. Dos vinte emissores avaliados de sinais e códigos de comunicação de imagem institucional, 12 chamam a atenção pelo nível de insatisfação apresentado, principalmente para o ano de 2000. Os emissores da imagem institucional com menor índice de satisfação estão em sua maioria associados aos recursos humanos envolvidos no processo, o que caracteriza sua influência na qualidade do ensino.

voltar

 Insper – Revista de Economia e Administração – 10 anos

Insper
linkedin facebook twitter youtube flickr

Insper

Rua Quatá, 300 - Vila Olímpia
- São Paulo/SP -
Brasil
| CEP: 04546-042
| Tel:
(11) 4504-2400

Webmail | Intranet Corporativa
Todos os direitos reservados

Mapa do site Notícias Acessibilidade Fale conosco