COIL

Alunas conversando em grupo de trabalho

Um dos nossos objetivos estratégicos de internacionalização é desenvolver competências globais nos alunos de graduação e pós-graduação, o que norteia a implementação de diferentes atividades e iniciativas em nossos programas. Atuamos nas duas frentes de Internacionalização do Ensino Superior: a “Internacionalização no Exterior” que se refere aos programas que envolvem mobilidade internacional e a “Internacionalização em Casa”, cujas atividades são implementadas no decorrer da experiência acadêmica do aluno sem que haja a necessidade de viagens internacionais.

Oferecemos aos alunos um ambiente multicultural propício ao desenvolvimento de competências globais e expansão de network, preparando-os para serem cidadãos globais adeptos a atuarem no mercado de trabalho dinâmico e a responderem aos desafios contemporâneos.

Alinhados com nossa missão, iniciamos a implementação de atividades COIL (Collaborative Online International Learning) nas disciplinas dos nossos programas de graduação e pós-graduação em 2021. Confira nossa primeira experiência COIL aqui.

A atividade COIL é uma inserção planejada entre dois professores de universidades e países diferentes com objetivo comum de trazer para suas respectivas turmas a perspectiva internacional sobre um ou mais temas abordados. A atividade é adaptável de acordo com o planejamento feito entre os docentes parceiros, podendo variar em temática, duração, quantidades de inserções, nível de interação entre os estudantes, plataforma digital etc.

Para que a atividade seja caracterizada como COIL no Insper é preciso que as inserções contenham (1) a contribuição de um docente internacional compartilhando sua perspectiva junto ou de maneira isolada, síncrona ou assíncrona, aos alunos Insper e que (2) os alunos interajam e discutam as temáticas abordadas com os alunos estrangeiros. Recomendamos que essa interação se dê por meio da formação de grupos mistos.

O primeiro passo para implementação das atividades COIL é que o docente entenda sua importância e seu impacto no desenvolvimento do processo de aprendizagem dos alunos. Em seguida, cada docente deve conferir sua network, identificando possíveis pares que lecionam temas semelhantes ou afins em universidades estrangeiras e convidando-os para essa parceria, ou entrando em contato com o departamento de Relações Internacionais para auxiliar na busca de um match. Por fim, é recomendado que as atividades sejam planejadas antes do início do semestre de inserção para que sejam implementadas com alinhamento e fluidez entre as partes.

Sabemos os desafios que podem surgir na implementação das atividades COIL, como fuso horário, idioma, acesso a plataformas e até mesmo conexão com possíveis parceiros. Os professores Insper devem contar com o suporte do departamento de Relações Internacionais para solucionar essas questões.

Confira como foi a experiência para a turma do prof. Marcelo Marchesini aqui.

Se você é um professor ou representante internacional de uma universidade fora do Brasil e tem interesse em saber mais sobre como colaborar com o Insper na implementação de atividades COIL, por favor, preencha o formulário abaixo. Entraremos em contato com você o mais breve possível.

  • Solte arquivos aqui ou
    Máx. tamanho do arquivo: 10 MB.

    FAQ

    A atividade COIL tem de ser feita em inglês no Insper?

    Mais

    R: Não necessariamente! Se a turma do professor parceiro for de uma universidade lusófona, as atividades podem acontecer em português; caso contrário, o idioma de instrução e interação deve ser o inglês.

    Quanto tempo dura o COIL?

    Mais

    R: É necessária pelo menos uma inserção em que haja troca entre os professores e alunos. O número de inserções e a duração das inserções devem ser acordados entre os professores parceiros.

    Como encontrar um parceiro?

    Mais

    R: Caso o professor não tenha um contato internacional para indicar como parceiro, o departamento de Relações Internacionais do Insper irá ajudar a encontrar um possível match.

    Infraestrutura