Revista de Economia e Administração – vol. 2 – n° 3

Insper Instituto de Ensino e Pesquisa

Sumário

Uma nota sobre o trade-off entre conflito e comércio em São Vicente e Pernambuco nos primórdios do Brasil  

Cláudio Djissey Shikida………………………………………………… 01

Educação continuada para executivos: considerações sobre as expectativas e os atributos importantes para o aluno em um MBA

Ana Akemi Ikeda

Marcos Cortez Campomar

Tânia M. Veludo de Oliveira ………………………………………….. 11

Co-integração e causalidade entre variáveis macroeconômicas, “risco Brasil” e retornos no mercado brasileiro de ações

Maurício Simiano Nunes

Newton Carneiro Affonso da Costa Jr.

Fernando Seabra ……………………………………………………….. 26

Gestão da informação e do conhecimento nas organizações: resultados de análise de casos relatados em organizações públicas e privadas

Rivadávia Correa Drummond de Alvarenga Neto

Jorge Tadeu de Ramos Neves  ………………………………………. 43

Inclusão do decaimento temporal na metodologia delta-gama para o cálculo de VaR de carteiras compradas em opções no Brasil

Cláudio Henrique da Silveira Barbedo

Gustavo Silva Araújo

Eduardo Facó Lemgruber ……………………………………………… 63

Resumo

1. Uma nota sobre o trade-off entre conflito e comércio em São Vicente e Pernambuco nos primórdios do Brasil

Cláudio Djissey Shikida

Resumo

São Vicente e Pernambuco são reconhecidos na literatura por representarem os dois únicos sucessos de colonização brasileira no seu período inicial (1534-49). Contudo, pouco ou quase nada se tem feito para se explicar o paradoxo que surge quando se verifica que ambos são frutos de duas estratégias privadas bastante distintas. Este texto mostra que é possível se entender esta aparente contradição mediante um modelo simples de estabelecimento de direitos de propriedade em um ambiente de colonização.

2. Educação continuada para executivos: considerações sobre as expectativas e os atributos importantes para o aluno em um MBA

Ana Akemi Ikeda

Marcos Cortez Campomar

Tânia M. Veludo de Oliveira

Resumo

Este artigo discorre sobre as expectativas dos alunos e os atributos que, em suas opiniões, são importantes em um curso, considerando a educação continuada para executivos no formato de cursos MBA. Foram realizados levantamentos bibliográfico e documental para desenvolvimento dos tópicos: “O MBA e as modalidades de pós-graduação no Brasil”, onde são esclarecidas as principais diferenças entre o MBA e demais cursos de pós-graduação, e “Expectativas e atributos importantes para o aluno em um curso”, sendo comparados os resultados de oito pesquisas que avaliam as expectativas dos alunos e o que eles consideram relevante na escolha de um curso ou escola. A partir disso, foi conduzida uma pesquisa de campo com 99 candidatos a um MBA. Verificou-se que suas expectativas se relacionam a aplicações práticas do conhecimento e ao alto nível de exigência do curso, considerando corpo docente, reputação da escola e conteúdo programático como fatores de maior importância.

3. Co-integração e causalidade entre variáveis macroeconômicas, “risco Brasil” e retornos no mercado brasileiro de ações

Maurício Simiano Nunes

Newton Carneiro Affonso da Costa Jr.

Fernando Seabra

Resumo

Este trabalho investiga o relacionamento entre algumas variáveis macroeconômicas, o prêmio pelo risco dos C-bonds brasileiros (risco Brasil) e os retornos do Ibovespa, durante o período de janeiro de 1995 a dezembro de 2001. Utilizaram-se testes de co-integração, um modelo de correção dos erros, e testes de causalidade de Granger. Os testes de co-integração e o modelo de correção dos erros mostraram que os retornos do Ibovespa estão co-integrados com algumas variáveis macroeconômicas (PIB e taxa de câmbio medida em termos reais), e também com o risco Brasil, na medida em que tais variáveis possuem uma relação de equilíbrio de longo prazo com o Ibovespa, e que os desvios desse equilíbrio são rapidamente corrigidos em períodos posteriores. Adicionalmente, verificou-se a existência de uma relação causal unidirecional do Ibovespa em direção à taxa de câmbio, mas não em direção ao PIB, o que é inconsistente com a hipótese de que o mercado de ações sinaliza as variações nas atividades macroeconômicas (em termos reais). O teste de causalidade de Granger não indicou nenhuma relação de causalidade entre os retornos mensais do Ibovespa e o fator de risco, mas constatou causalidade bidirecional entre essas variáveis com séries diárias.

4. Gestão da informação e do conhecimento nas organizações: resultados de análise de casos relatados em organizações públicas e privadas

Rivadávia Correa Drummond de Alvarenga Neto

Jorge Tadeu de Ramos Neves

Resumo

Este artigo é baseado em um trabalho de pesquisa que analisou vinte casos de gestão do conhecimento relatados na literatura, objetivando uma compreensão mais clara do significado do termo “Gestão do Conhecimento” para as organizações em questão, além de buscar um melhor entendimento sobre como essas organizações vêm utilizando a informação e o conhecimento com vistas à maximização da competitividade e do alcance de objetivos organizacionais. Buscou-se também responder, com base nestes entendimentos e a partir da perspectiva da evolução das estruturas organizacionais, se a gestão do conhecimento surge ou não para preencher a lacuna das teorias de gestão na era informacional. Foram analisados ainda os indicadores de desempenho relatados, as novas ferramentas, métricas e modelos complementares de gestão propostos, realizou-se o agrupamento das melhores práticas de gestão do conhecimento relatadas e, com base no modelo proposto por Choo (1998), fez-se um enquadramento de cada caso relatado a partir dos três usos da informação e do conhecimento nas organizações propostos por esse autor.

5. Inclusão do decaimento temporal na metodologia delta-gama para o cálculo de VaR de carteiras compradas em opções no Brasil

Cláudio Henrique da Silveira Barbedo

Gustavo Silva Araújo

Eduardo Facó Lemgruber

Resumo

O cálculo de VaR para carteiras de opções apresenta várias dificuldades. A não linearidade e a não normalidade desses ativos faz com que essa estimativa fique bastante prejudicada, principalmente no caso de modelos paramétricos. Este artigo tem por objetivo analisar os resultados do cálculo do valor em risco de carteiras com posições compradas de opções de compra, de acordo com a metodologia delta-gama, e segundo metodologia delta-gama-teta, a qual considera o efeito determinista da passagem do tempo no cálculo de VaR. As metodologias são avaliadas segundo o grau de “proximidade do dinheiro” e o tempo restante para o vencimento. Os testes empregados são os de Christoffersen e Lopez. Os resultados mostram que a metodologia delta-gama-teta responde melhor ao teste de proporção de falhas, no caso do VaR de 95%, do que a metodologia delta-gama. Ainda assim, são verificados erros grandes nessa metodologia para opções “fora do dinheiro” e para opções com prazo mais curto.

voltar

 Insper – Revista de Economia e Administração – 10 anos

Insper
linkedin facebook twitter youtube flickr

Insper

Rua Quatá, 300 - Vila Olímpia
- São Paulo/SP -
Brasil
| CEP: 04546-042
| Tel:
(11) 4504-2400

Webmail | Intranet Corporativa
Todos os direitos reservados

Mapa do site Notícias Acessibilidade Fale conosco