Revista de Economia e Administração – vol. 10 – n° 3

Insper Instituto de Ensino e Pesquisa

Sumário

Franquia social: um fator multiplicador de responsabilidade social empresarial

Tomas Sparano Martins, Heitor Takashi Kato, Roberta da Rocha Rosa Martins, Victor Meyer Jr. e June Alisson Westarb Cruz……………327-347

A demanda por derivativos cambiais e o valor da firma

Fernando Nascimento de Oliveira e Lívia Sendra Coelho…………………348-365

Indicadores de sustentabilidade energética: uma proposta para tomada de decisão a partir do setor industrial do estado do Pará

Fabrício Q. Borges………………………………………………………………………366-392

Atributos determinantes do desempenho do professor de Finanças: estudo empírico

Wesley Mendes-Da-Silva, Diógenes Sousa Bido e Denis Forte…………393-414

O relacionamento entre o viés do status quo e o perfil de risco em tomadas de decisões financeiras

Valter Saurin, Wlademir Ribeiro Prates, Newton Carneiro Affonso da Costa Jr. e Manuel José da Rocha Armada…………………….415-436

Mercado imobiliário no Distrito Federal: perspectiva dos corretores de imóveis quanto à existência de bolha especulativa

Bruno Vinícius Ramos Fernandes, Lorena Cristina Esmeraldo Leite, Danielle Montenegro Salamone Nunes e Cláudio Moreira Santana……………………………………………………………..437-463

Franquia social: um fator multiplicador de responsabilidade social empresarial

Tomas Sparano Martins

Heitor Takashi Kato

Roberta da Rocha Rosa Martins

Victor Meyer Jr.

June Alisson Westarb Cruz

Resumo

Porter e Kramer (2006) acreditam que a responsabilidade social empresarial deve ser integrada à gestão empresarial, pois as necessidades dos negócios podem perfeitamente convergir com as necessidades da sociedade. Desta forma, a organização consegue atender melhor as demandas impostas pelo mercado e pela sociedade. O conceito de Responsabilidade Social Empresarial faz com que haja o reconhecimento de que cada pessoa faz parte de um sistema social estendido, em que ela é parcialmente dependente. No entanto, no Brasil, grande parte das ações, internas ou externas, ainda tem um cunho meramente assistencialista. Sendo o franchising uma das estratégias possíveis que uma empresa adota para distribuir seus produtos ou serviços, a proposta do presente trabalho é abordar o conceito de franchising social. A partir desta abordagem, através de programas consagrados por organizações não governamentais, o conceito de responsabilidade empresarial de Porter e Kramer (2006) poderia ser estrategicamente distribuído, e de maneira mais uniforme e estruturada em empresas diversas e territorialmente espalhadas.

Palavras-chave: Responsabilidade Social Empresarial; Organizações não governamentais; Franchising; Franquia social.

A demanda por derivativos cambiais e o valor da firma

Fernando Nascimento de Oliveira

Lívia Sendra Coelho

Resumo

Este trabalho examina empiricamente a relação entre o valor da firma, representado pelo Q de Tobin, e a depreciação cambial no Brasil. A base de dados foi construída com uma amostra das 40 empresas não financeiras com maior volume de negociação na BM&FBovespa no ano de 2008. A partir das notas explicativas divulgadas nos Balanços Anuais destas empresas, buscamos aquelas que ao final de 2008 possuíam posições abertas de derivativos de câmbio. Produziu-se assim um total de 28 empresas. Para empresas que especularam encontramos uma relação negativa entre o valor da firma e a exposição a risco cambial. Para empresas que fizeram operações de hedge, encontramos uma relação positiva, ou seja, as atividades de hedging afetaram positivamente o valor da firma durante o período analisado.

Palavras-chave: Q de Tobin; Derivativos de câmbio; Exposição a risco cambial.

Indicadores de sustentabilidade energética: uma proposta para tomada de decisão a partir do setor industrial do estado do Pará

Fabrício Q. Borges

Resumo

O artigo tem como objetivo construir e analisar um modelo de indicador de sustentabilidade de energia elétrica para o setor industrial do estado do Pará, capaz de orientar os investimentos do setor elétrico no estado com vistas à sustentabilidade. A concepção da construção e análise de indicadores de sustentabilidade energética parte da necessidade de formular novos instrumentos que subsidiem a gestão das políticas públicas para o desenvolvimento sustentável, planejando sistemas e modelos operacionais para diversos segmentos estratégicos como o setor de energia elétrica. O procedimento de pesquisa está pautado na estrutura difundida pela Commission for Sustainable Development/Organização das Nações Unidas – CSD/ONU, que trabalha com uma sequência de temas e subtemas do desenvolvimento, envolvendo aspectos econômicos, sociais, ambientais e políticos. São apresentados os indicadores constantes em Bermann (2003), Helio International (2005), Agência Nacional de Energia Elétrica (ANEEL, 1999), Camargo et al. (2004), Borges (2007). Os indicadores utilizados para a análise do setor industrial no estado do Pará foram os indicadores econômico, social, ambiental e político. O período das análises cobre os anos de 2000 a 2008. Considera-se que o estado do Pará, mesmo sendo o que detém uma das maiores capacidades de geração de energia hídrica do Brasil e abriga em seu território a maior usina de geração de energia elétrica genuinamente nacional, não tem sido capaz de transformar essa riqueza gerada em ganhos para a sua população. Daí a necessidade de construção de indicadores que auxiliem nas decisões voltadas para o desenvolvimento sustentável, já que os resultados apontam para um setor industrial com desempenhos “médios” e “bons” quanto à sustentabilidade de energia elétrica.

Palavras-chave: Indicadores de sustentabilidade; Energia elétrica; Setor industrial; Estado do Pará.

Atributos determinantes do desempenho do professor de Finanças: estudo empírico

Wesley Mendes-Da-Silva

Diógenes Sousa Bido

Denis Forte

Resumo

Universidades e faculdades têm reconhecido que é necessário alcançar níveis elevados de desempenho do professor em sala de aula. Em sistemas educacionais pertencentes a países cuja economia é vista como desenvolvida, esse desejo tem se refletido em tentativas de eleger critérios robustos para mensuração do desempenho dos professores. Diante disso, esse artigo tem como objetivo identificar aspectos relevantes para a avaliação de professores na área de finanças, baseando-se em dados coletados em um survey que contemplou 386 alunos matriculados em oito disciplinas diferentes da área financeira, elencadas na grade curricular do curso de Administração oferecido por uma universidade brasileira. Com o emprego de métodos multivariados (análise fatorial exploratória e modelagem em equações estruturais), os principais resultados alcançados sugerem que: i) com respeito aos atributos individuais do professor, ser: responsável, confiável, motivado, encorajador e didático leva a uma avaliação de maior nível por parte dos alunos, explicando aproximadamente 26% da variância do desempenho do professor; ii) já em relação aos atributos da disciplina ministrada: objetivo e adequação, carga de trabalho imposta aos alunos e material de apoio, e valor percebido da disciplina explicam aproximadamente 29% da variância do desempenho do professor.

Palavras-chave: Equações estruturais; Análise fatorial; Ensino de Finanças.

O relacionamento entre o viés do status quo e o perfil de risco em tomadas de decisões financeiras

Valter Saurin

Wlademir Ribeiro Prates

Newton Carneiro Affonso da Costa Jr.

Manuel José da Rocha Armada

Resumo

Uma das tarefas mais importantes do administrador financeiro é criar valor nas atividades de investimento, financiamento e gestão da liquidez. Contudo, existem impedimentos comportamentais que interferem no processo de criação ou maximização de valor de uma companhia (SHEFRIN, 2001). Um destes impedimentos é o chamado viés do status quo, que foi chamado dessa forma inicialmente por Samuelson e Zeckhauser (1988). Este viés indica que os indivíduos possuem uma forte tendência a manter o estado atual e não realizar mudanças (não somente no contexto financeiro). O presente trabalho buscou verificar a existência deste viés nas tomadas de decisões dos indivíduos pesquisados e relacionar a existência do viés com o perfil de risco de cada indivíduo. A metodologia foi baseada em Samuelson e Zeckhauser (1988) para verificar a existência do viés do status quo, e em Holt e Laury (2002) para identificar os perfis de risco (avesso, neutro e propenso ao risco). Foram aplicados questionários em 201 estudantes de mestrado na Universidade do Minho em Portugal. Os resultados obtidos apontam para existência do viés do status quo, principalmente em indivíduos avessos ao risco. Concluindo, enfatiza-se a importância de os gestores financeiros compreenderem os vieses comportamentais aos quais estão expostos.

Palavras-chave: Viés do status quo; Efeito dotação; Perfil de risco.

Mercado imobiliário no Distrito Federal: perspectiva dos corretores de imóveis quanto à existência de bolha especulativa

Bruno Vinícius Ramos Fernandes

Lorena Cristina Esmeraldo Leite

Danielle Montenegro Salamone Nunes

Cláudio Moreira Santana

Resumo

O mercado imobiliário do DF tem chamado a atenção nos últimos anos pelo seu aquecimento e o constante aumento de preços. Entre janeiro de 2007 e dezembro de 2009, o preço médio do metro quadrado aumentou aproximadamente 60%, o que fez com que centenas de investidores aplicassem seus recursos em imóveis. Esta pesquisa tem por objetivo analisar a visão de corretores de imóveis do Distrito Federal sobre o mercado imobiliário. Para tanto, utilizou-se um questionário com 10 questões objetivas, enviado a 5.900 e-mails de corretores, obtendo–se 289 respostas. O foco principal do questionário era avaliar, pelas respostas dos corretores, a existência de indícios de bolha no mercado imobiliário do DF, levando em conta o forte aquecimento dos preços nos últimos anos. O teste utilizado para a análise das questões de opinião foi o qui-quadrado, que avaliou se as variáveis demográficas dos corretores influenciam nos padrões de respostas observados. Os dados de valorização do metro quadrado, relativos a 2007, 2008 e 2009, foram obtidos mediante tabulação de anúncios de imóveis do jornal Correio Braziliense a fim de compará-los com as perspectivas dos participantes da pesquisa. Os resultados demonstraram que a maioria dos corretores discorda fortemente da possibilidade de existência de uma bolha especulativa imobiliária. Quanto à perspectiva de valorização dos imóveis, os respondentes apresentaram noção que coincidiu com os resultados obtidos a partir dos dados dos classificados.

Palavras-chave: Finanças comportamentais; Mercado imobiliário; Bolha especulativa.

 

voltar

 Insper – Revista de Economia e Administração – 10 anos

Insper
linkedin facebook twitter youtube flickr

Insper

Rua Quatá, 300 - Vila Olímpia
- São Paulo/SP -
Brasil
| CEP: 04546-042
| Tel:
(11) 4504-2400

Webmail | Intranet Corporativa
Todos os direitos reservados

Mapa do site Notícias Acessibilidade Fale conosco