Aposentadoria: será que investir em imóvel é uma boa estratégia?

No período da aposentadoria o objetivo é parar de trabalhar e viver de algum tipo de renda. As opções são muitas, que vão desde previdência privada, aplicações financeiras até investimento em imóveis. Neste último caso, porém, há diversos aspectos a serem analisados.

Para quem ainda tem muitos anos até a data de se aposentar e está pensando em comprar algum imóvel, com o objetivo de alugá-lo e viver dessa renda, é bom reavaliar os planos. Para o professor de economia e finanças do Insper, Otto Nogami, essa não é das melhores estratégias, principalmente porque um imóvel gera uma série de inconvenientes que o desfavorece como investimento.

Investimento em manutenção
Em primeiro lugar, comparando com uma aplicação financeira – seja em títulos públicos ou outra modalidade investimento em renda fixa – um imóvel gera muitos gastos. Na prática, não adianta pensar que você vai alugar seu imóvel e é o fim dos gastos. Você precisará fazer frequentes investimentos visando à manutenção do bem, o que vai corroer bastante a rentabilidade que você tira do imóvel.

Além disso, os inquilinos costumam dar muito mais problemas do que tranquilidade. É preciso contar, ainda, os meses que você não terá conseguido alugar o imóvel, e que, portanto, não poderá contar com essa renda. Os altos e baixos da economia, que reflete as crises financeiras, sempre contaminam o mercado imobiliário, que hora está aquecido, hora está estagnado.

No período da aposentadoria, talvez você não queira e mesmo não possa lidar com as situações de instabilidade. Contar apenas com o imóvel para gerar a renda que você precisará no momento em que não estiver mais profissionalmente ativo também é uma decisão arriscada pelo fator liquidez.

Baixa liquidez
Os imóveis, diferentemente das aplicações financeiras, têm uma liquidez muito reduzida. Ou seja, se você vier a precisar, da noite para o dia, de um grande valor, para uma emergência médica, por exemplo, você não conseguirá – facilmente – se livrar do inquilino e vender o bem.

Na realidade, isso é possível, sim, mas a um custo extremamente alto. Para acabar com o contrato de aluguel no meio do período de vigência, você deverá pagar uma boa multa. E vender um imóvel na pressa reduz seu poder de negociação, o que fará com que receba um valor muito abaixo do preço de mercado.

Só se for na diversificação
Apesar dos altos custos de manutenção, da liquidez bastante reduzida e do risco de não encontrar inquilino, os imóveis podem ser opções de investimento para a aposentadoria, sim, mas apenas no processo de diversificação de investimento. O professor sugere que só depois que a pessoa já tenha investimentos líquidos, como aplicações financeiras, é que deve considerar comprar um imóvel como investimento.

(Infomoney – 27/06/2012)