Home/Agenda de Eventos/Cidades Educadoras

As cidades brasileiras cresceram mal, mantendo índices precários de saneamento, segurança, habitação. A chamada cidade informal, autoconstruída e carente de toda infraestrutura, ocupa a maior parte do tecido urbano, mas continua invisível e inacessível aos habitantes das zonas centrais, quando não aos gestores e planejadores.

Para analisar essa questão, Insper e Arq. Futuro promovem seminário que explorará a ideia de que a cidade pode ser considerada como uma escola. Uma escola de convivência e trocas simbólicas, o locus fundamental de aprendizagem da experiência pública, lugar formador do sentimento da urbanidade.

Se, nas palavras do economista Edward Glaeser a cidade é “a maior invenção da humanidade”, é preciso admitir que ela foi uma invenção coletiva. Se ela permite o florescimento da cultura, o debate de ideias, o exercício pleno da política e da cidadania é porque representa a realização material de bem comum, e, portanto, a permanência do saber acumulado sobre seus problemas e soluções.

Propomos, então, uma reflexão cruzada entre urbanistas e educadores em torno de uma cidade em aprendizado, o que envolve tanto a consideração curricular e a integração disciplinar de temas urbanísticos quanto o mapeamento e localização dos recursos da malha urbana.

Isso requer um esforço metódico de oferecer ao jovem conhecimento formal e sistematizado sobre o ambiente em que ele vive, ajudando-o a compreender desde os aspectos físicos da cidade até suas regras de governança, e requer, sobretudo, a participação cidadã, ativa e transformadora no contexto de produção e disponibilização de saberes sobre a experiência da cidade.

Confira a programação completa e inscreva-se!

Evento gratuito e sujeito à lotação do espaço.

Informações

Data: 30/11/2019

Horário: 09h00

Local: Auditório Steffi e Max Perlman

Entrada: Rua Uberabinha, s/n

Estacionamento: Rua Uberabinha, s/n – Vila Olímpia

Programação

9h

Abertura

Carolina da Costa (Insper)

Tomas Alvim (BEĨ Educação e Arq.Futuro)

9h15

A cidade como lugar de aprendizado e intervenção transformativa – o desafio de fazer uma escola além dos muros:

Christian Dunker (USP)

 

9h45

Debate:

Christian Dunker (USP)

Carolina da Costa (Insper)

Sônia Pieri (EE Infanto Dom Henrique)

Paulo Blikstein (Columbia University)

Mediação: Tomas Alvim (BEĨ Educação e Arq.Futuro)

11h

A cidade nos processos de aprendizagem escolar – um lugar de grande potencial para transformação urbana:

Cláudia Vidigal (Fundação Van Leer)

 

 

11h30

Debate:

Cláudia Vidigal (Fundação Van Leer)

Wilton Ormundo (Escola Móbile)

Eloisa Ponzio (Devir)

Jaison Luppi (E.E. Prof. Adrião Bernardes e ECOATIVA, Grajaú)

Mediação: Edson Diniz (Diretor Redes da Maré)

 

12h45

Almoço

 

14h

A potência comunitária – uma reflexão cruzada entre urbanistas e educadores em torno de uma cidade aprendente.

Debate:

Vinicius Andrade (Escola da Cidade)

Professor Bráz (UNAS)

Roberto Montezuma (INCITI)

Ana Cristina Bortoletto Dunker (Escola Carandá Vivavida)

Mediação: Christian Dunker (USP)

15h

A cidade acolhedora e aprendente – uma cidade que se torne um lugar de encontro, inclusão, diversidade e oportunidade para todos.

Debate:

Marisa Moreira Salles (BEĨ Educação e Arq.Futuro)

Christian Dunker (USP)

Danilo Costa (Vereda)

Rafael Gomes (Rapper MMoneis – Grajaú)

Mediadora: Ana Luíza Colagrossi (Espaço Àra Educação)

INSCRIÇÕES

Evento gratuito e sujeito à lotação do espaço.

É de conhecimento do participante que eventuais filmagens e/ou fotografias realizadas no evento poderão ser utilizadas em qualquer meio de mídia para uso institucional.

  • DECRETO Nº 58.228, DE 16 DE MAIO DE 2018 Dispõe sobre o uso do nome social e o reconhecimento da identidade de gênero de travestis, mulheres transexuais e homens trans em todos os órgãos da Administração Pública Municipal Direta e nas autarquias, fundações, empresas públicas e sociedades de economia mista municipais, bem como nos serviços sociais autônomos instituídos pelo Município, concessionárias de serviços públicos municipais e pessoas jurídicas referidas no artigo 2º, inciso I, da Lei Federal nº 13.019, de 31 de julho de 2014, que mantenham qualquer espécie de ajuste com a Administração Municipal.
  • Acessibilidade

    O campus do Insper está em conformidade com os padrões nacionais estabelecidos para acessibilidade, de forma que as pessoas com deficiência física encontrem as condições necessárias para circular com autonomia. Conheça nossas ações de Acessibilidade.
    Para garantir a qualidade dos serviços contratados, as solicitações para Interpretação em Libras devem ser feitas até 48 horas antes do evento.
  • Este campo é para fins de validação e não deve ser alterado.