Home/Working Papers/Pró-devedor ou Pró-credor? Medindo o Viés dos Juízes Brasileiros