Revista de Economia e Administração – vol. 7 – n° 4

Insper Instituto de Ensino e Pesquisa

Sumário

O comércio intra-setorial português e as suas determinantes: uma aplicação empírica

Nuno Carlos Leitão e Horácio C. Faustino …………………………………………………………341-370

Retorno da educação no Brasil em 1995 e 2005

Armando Vaz Sampaio …………………………………………………………………………………..371-401

Análise de transmissão de preços no mercado de carne bovina entre os países do Mercosul e os Estados Unidos

Reisoli Bender Filho

Augusto Mussi Alvim……………………………………………………………………………………….402-418

Aversão míope à perda – um estudo experimental

Benjamin Miranda Tabak

Alexandre Cortes …………………………………………………………………………………………..419-436

Correlações de preços no delineamento de mercados geográficos: uso de modelos de arbitragem com aplicação ao mercado de polietilenos de alta densidade

Cláudio R. Lucinda …………………………………………………………………………………………437-458

Quantificação do risco de crédito: um estudo de caso utilizando o modelo Creditrisk+

Wagner Albres Stolf

Roberto Arruda de Souza Lima ………………………………………………………………………..459-480

Fontes de crescimento das exportações do complexo soja brasileiro (1995-2004)

Daniel Arruda Coronel

João Armando Dessimon Machado

Fátima Marília Andrade de Carvalho …………………………………………………………………481-501

Sumário

O comércio intra-setorial português e as suas determinantes: uma aplicação empírica

Nuno Carlos Leitão

Horácio C. Faustino

Resumo

Este estudo examina o comércio intra-setorial (IIT) entre Portugal e os países da União Europeia (UE15) para o período 1995-2003, e testa as suas principais determinantes. Na análise econométrica usa-se o painel de dados dinâmico. Dos resultados obtidos podemos afirmar que Portugal apresenta índices de comércio intra-setorial que o caracterizam como país desenvolvido. Os índices de IIT são elevados e quando dividimos o IIT por tipos verificamos que predomina o IIT vertical. Os resultados do modelo empírico confirmam a hipótese de Linder do comércio intra-setorial ocorrer entre países com rendimentos per capita semelhantes. Assim, quanto maior o nível de desenvolvimento de Portugal, maior o nível de IIT.

Palavras-chaves: Comércio intra-setorial; Portugal; Dados de painel; Análise dinâmica; Vantagem comparativa.

Quantificação do risco de crédito: um estudo de caso utilizando o modelo Creditrisk+

Wagner Albres Stolf

Roberto Arruda de Souza Lima

Resumo

A atividade bancária envolve diversas formas de riscos. Dentre esses está o risco de crédito, representado como sendo uma medida de incerteza relacionada ao recebimento de um valor compromissado concedido ao tomador de empréstimo. Nesse artigo é aplicada a metodologia de quantificação do risco de crédito CreditRisk+ em quatro portfólios de financiamentos à pessoa jurídica, evidenciando o Capital Econômico Alocado – CEA, a distribuição do risco de crédito em diferentes ramos e setores de atividade e o spread necessário para cobrir as perdas esperadas e inesperadas. Em seguida, verifica-se qual dos quatro portfólios de empréstimo bancário é o mais rentável.

Palavras-chaves: Risco de crédito; CreditRisk+; Capital econômico alocado; Finanças; Bancos.

Fontes de crescimento das exportações do complexo soja brasileiro (1995-2004)

Daniel Arruda Coronel

João Armando Dessimon Machado

Fátima Marília Andrade de Carvalho

Resumo

O objetivo deste trabalho é identificar as principais fontes de crescimento das exportações brasileiras de soja em grão, farelo e óleo de 1995 a 2004. Para tanto, utilizou-se o modelo de comércio internacional Constant-Market-Share, que permitiu decompor as fontes de crescimento em quatro efeitos, quais sejam: crescimento do comércio mundial, composição da pauta, destino das exportações e competitividade. Os dados necessários foram coletados junto ao Sistema de Análise das Informações de Comércio Exterior (ALICE), da Secretaria de Comércio Exterior (SECEX), que possui os dados de exportações brasileiras Free on Board (FOB) em dólares, à Food and Agriculture Organization of the United Nations (FAO), e à Organização Mundial do Comércio (OMC). Os resultados indicam que as principais fontes de crescimento para o grão, o farelo e o óleo de soja foram inicialmente a competitividade, e posteriormente o crescimento do comércio mundial.

Palavras-chaves: Complexo soja; Constant-Market-Share; Comércio internacional; Competitividade.

voltar

 Insper – Revista de Economia e Administração – 10 anos

Insper
linkedin facebook twitter youtube flickr

Insper

Rua Quatá, 300 - Vila Olímpia
- São Paulo/SP -
Brasil
| CEP: 04546-042
| Tel:
(11) 4504-2400

Webmail | Intranet Corporativa
Todos os direitos reservados

Mapa do site Notícias Acessibilidade Fale conosco