Revista de Economia e Administração – vol. 5 – n° 3

Insper Instituto de Ensino e Pesquisa

Sumário

A crise da marcação a mercado em 2002: uma perspectiva histórica

Rogério Mori

Guilherme Tavares

Túlio Bueno …………………………………………………….. 263 – 278

Contribuição teórica para a utilização do pensamento complexo no campo da estratégia

Paula Esteban do Valle Jardim

Luiz Alberto Nascimento Campos Filho ………………….. 279 – 296

Efeito de atividades promocionais no varejo

Vitor Behrmann Estrela

Delane Botelho ………………………………………………… 297 – 311

Inflação inercial no Brasil pré-Cruzado: um estudo através de modelos Arima

Eduardo Angeli ………………………………………………… 312 – 337

A efetividade de hedge do mercado futuro de açúcar nos mercados de Nova York, Londres e da BM&F

João Paulo Raabe

Jefferson Andronio Ramundo Staduto

Pery Francisco Assis Shikida ………………………………… 338 – 357

O modelo de estratégia de localização de Shapiro no setor aeroviário brasileiro

Carlos Tadao Kawamoto

Fabiana D’Atri ………………………………………………….. 358 – 368

Causalidade e co-integração no mercado de café entre a BM&F e a NYBOT

Marcelo Luiz Campos Valente

Marcelo José Braga …………………………………………… 369 – 383

Resumo

A crise da marcação a mercado em 2002: uma perspectiva histórica

Rogério Mori

Guilherme Tavares

Túlio Bueno

Resumo

Neste artigo analisamos, sob uma perspectiva histórica, os precedentes e os desdobramentos da implementação da marcação a mercado nos fundos de investimento em 31 de maio de 2002. Meses antes da implementação da nova regra, as LFTs já vinham apresentando deságios crescentes, culminando com a perda de rentabilidade dos fundos de renda fixa e uma onda de saques sem precedentes na indústria de fundos no Brasil. Mostramos ainda as ações do Banco Central durante a crise, o comportamento dos gestores e investidores e o impacto do evento na dinâmica da dívida pública.

Contribuição teórica para a utilização do pensamento complexo no campo da estratégia

Paula Esteban do Valle Jardim

Luiz Alberto Nascimento Campos Filho

Resumo

A necessidade de uma evolução paradigmática na teoria organizacional, a qual converge com a análise estratégica, vem sendo debatida em âmbito acadêmico. O presente trabalho objetiva evidenciar, à luz do pensamento complexo, a existência de complementaridade entre a estratégia competitiva e a visão baseada em recursos (RBV). A conceitualização filosófica, apoiada na revisão bibliográfica, possibilitou a identificação de conexões entre ambas as visões e, ao mesmo tempo, ensejou a elaboração de premissas e proposições.

Nesse sentido, cabe destacar, como proposição apresentada, que considerando a complementaridade, as inter-relações mútuas e a dinâmica das variáveis próprias da estrutura industrial e dos recursos/competências da empresa, a formulação estratégica deve apreciar os fenômenos consoante uma perspectiva dialógica. Dessa forma, o artigo aponta que a compreensão da formulação estratégica, a partir da aplicação do pensamento complexo, pode ser modificada.

Efeito de atividades promocionais no varejo

Vitor Behrmann Estrela

Delane Botelho

Resumo

Na prospecção de consumidores e aumento do faturamento, uma das ações mais utilizadas pelo setor supermercadista, que representou 5,42% do Produto Interno Bruto brasileiro em 2005, é a promoção de vendas. Mas, a decisão de alocação de recursos em atividades promocionais é ainda geralmente feita com base na intuição. No Brasil, são raros os estudos sobre os efeitos de atividades promocionais nas vendas, considerando dados reais de supermercados. Este artigo, cujo objetivo é avaliar o efeito da combinação de promoções nas vendas de um bem de consumo específico, usou um pré-experimento, em que se observaram as vendas de unidades durante e depois do tratamento (ação promocional) em sete lojas do estado de São Paulo. Os resultados demonstraram que as vendas promocionais não foram significativamente superiores às vendas no período sem promoção. São discutidas as implicações gerenciais da pesquisa e sugestões para futuros trabalhos.

Inflação inercial no Brasil pré-Cruzado: um estudo através de modelos Arima

Eduardo Angeli

Resumo

Este trabalho se propõe a verificar a hipótese de que a inflação no Brasil antes do Plano Cruzado era 100% inercial, como afirmam os adeptos da visão inercialista mais radical. Para tanto É utilizada a metodologia Box-Jenkins, que fornece o instrumental para a análise econométrica de séries temporais como o IGP-DI, o índice de inflação aqui adotado. A análise dos modelos não permitiu descartar a hipótese de que a inflação fosse 100% inercial, contrariando estudos já realizados sobre o mesmo tema.

A efetividade de hedge do mercado futuro de açúcar nos mercados de Nova York, Londres e da BM&F

Rosiane Maria Lima Gonçalves

Marcelo José Braga

Resumo

A inexistência de mecanismos formais para a administração de riscos relacionados a variações inesperadas de preços para os produtos do setor sucroalcooleiro tornou oportuno o lançamento do Contrato Futuro Cambial de Açúcar pela BM&F. Dessa forma, o mercado futuro torna-se um mecanismo importante na negociação da commodity açúcar e um instrumento de administração dos riscos de preço. Para que essas funções do mercado futuro sejam exercidas, é necessário verificar se os preços do mercado futuro de açúcar acompanham o mercado físico. Para essa verificação, foi utilizada a análise de efetividade de hedge, baseando-se em dados do açúcar cotado em dólar na BM&F, na Bolsa de Londres, e na Bolsa de Nova York, além dos preços no mercado físico, medidos pelo índice CEPEA/ESALQ (janeiro/2000 a setembro/2003). Foi verificada uma relativa efetividade de hedge no mercado futuro de açúcar cotado em dólar na BM&F, não sendo significativa nas demais bolsas.

O modelo de estratégia de localização de Shapiro no setor aeroviário brasileiro

Carlos Tadao Kawamoto

Fabiana D’Atri

Resumo:

Este trabalho aplica o modelo estilizado de estratégia locacional de Shapiro (1986), que segue a taxonomia de Fudenberg e Tirole (1984), ao setor aeroviário brasileiro para os anos entre 1996 e 2004. Como preços e quantidades são determinados simultaneamente, o uso de um modelo estimado por mínimos quadrados de dois estágios (2SLS) revela que as firmas nacionais se comportam como Fat Cats, ou seja, elas tendem a ter melhores taxas de ocupação e maiores market shares do que firmas Puppy Dogs, que acomodariam suas rivais capturando vantagens de um prêmio no preço. Se fosse imposto um controle tarifário, a oferta teria menos serviço de bordo, piores horários ou mais atrasos.

Causalidade e co-integração no mercado de café entre a BM&F e a NYBOT

Marcelo Luiz Campos Valente

Marcelo José Braga

Resumo:

O preço do café apresenta volatilidade elevada. Portanto, uma maneira de tentar reduzir esta instabilidade consiste na contratação em mercados futuros, pois estes fornecem um mecanismo no qual especuladores assumem o risco de preço dos agentes que detêm uma mercadoria sujeita a flutuação de preços. O presente estudo avaliou o comportamento dos preços futuros de café do Brasil, negociado na BM&F e nos Estados Unidos da América, NYBOT, no período de janeiro de 1994 a outubro de 2005. A teoria que embasa o trabalho é a Lei do Preço Único. Foram utilizados os testes de causalidade de Granger (1969) e os testes de Engle e Granger (1987) para observar as noções de co-integração. Verificou-se a existência de uma relação bi-causal entre os preços e a existência de uma relação de longo prazo entre as variáveis, corroborando o que diz a Lei do Preço Único

voltar

 Insper – Revista de Economia e Administração – 10 anos

Insper
linkedin facebook twitter youtube flickr

Insper

Rua Quatá, 300 - Vila Olímpia
- São Paulo/SP -
Brasil
| CEP: 04546-042
| Tel:
(11) 4504-2400

Webmail | Intranet Corporativa
Todos os direitos reservados

Mapa do site Notícias Acessibilidade Fale conosco