Revista de Economia e Administração – vol. 3 – n°4

Insper Instituto de Ensino e Pesquisa

Sumário

Estudo da eficiência do contrato futuro do Ibovespa

Armênio de Sousa Rangel

José Carlos S. Santos

Siegfried Bender ………………………………………………. 287 – 300

A nova economia institucional revisitada

Weimar Freire da Rocha Júnior …………………………….. 301 – 319

Adequação das medidas de valor em risco na formulação da exigência de capital para estratégias de opções no mercado brasileiro.

Gustavo Silva Araújo

Claudio Henrique da Silveira Barbedo

Eduardo Facó Lemgruber ……………………………………. 320 – 338

Determinantes de êxito de empresas tecnológicas de base universitária: um estudo de casos múltiplos no âmbito do CIETEC/USP

Roberto Sbragia

Érica Cristiane Ozório Pereira ………………………………. 339 – 350

Controle do risco de mercado de um fundo de previdência complementar: um modelo integrado de VaR e teste de estresse sob a ótica da teoria do valor extremo.

Sérgio Jurandyr Machado

Antônio Carlor Figueiredo Pinto …………………………….. 351 – 360

Gestão de operações em serviços com otimização de custos

Marcelo Cabus Klotzle

Fábio Luiz Biagini ………………………………………………. 361 – 373

Resumo

1. Estudo da eficiência do contrato futuro do Ibovespa

Armênio de Sousa Rangel

José Carlos S. Santos

Siegfried Bender

Resumo

O artigo procura testar a hipótese de mercados futuros eficientes com relação aos contratos futuros do índice da Bolsa de Valores de São Paulo negociados na Bolsa de Mercadorias e Futuros de São Paulo. Para isso, foram analisados dois modelos: teoria de expectativas racionais e teoria da arbitragem. Ambos os modelos parecem confirmar a hipótese de mercados futuros eficientes. Este artigo tem como escopo apresentar, à guisa de uma revisita à literatura, os conceitos, pressupostos básicos, dimensões e correntes da Nova Economia Institucional (NEI). De acordo com a NEI, elementos que antes eram considerados exógenos à análise econômica passam a ser considerados, como: estrutura organizacional, mecanismo de governança das transações e ambiente institucional. A firma passa a ser tratada como um complexo de contratos comandando as transações internas e externas. Desta forma, mercado e firma não se relacionam somente pelo sistema de preços (microteoria convencional), mas também com outras estruturas de governança, sob pressupostos da racionalidade limitada, custos de transação e oportunismo.

2. A nova economia institucional revisitada

Weimar Freire da Rocha Júnior

Resumo

Estratégias de opções são combinações de negócios com opções do mesmo ativo-objeto, ou posições simultâneas nestes derivativos e no ativo-objeto. Estas operações criam novas oportunidades de investimento e, conseqüentemente, diferentes exposições a risco, que levam a necessidades específicas de exigência de capital para instituições financeiras. Contudo, existe pouca concordância acerca dos métodos de cálculo do capital exigido para cobertura dos riscos das estratégias, de maneira que haja cobertura das posições especulativas e ao mesmo tempo não se penalizem operações que visem diminuir o risco da posição. Este artigo analisa métodos de cálculo de exigência de capital para estratégias com opções de ações no mercado brasileiro. Seis métodos são avaliados segundo as regras preconizadas pelo Comitê de Basiléia, sendo um padronizado e os demais baseados no conceito de Valor em Risco.

3. Adequação das medidas de valor em risco na formulação da exigência de capital para estratégias de opções no mercado brasileiro.

Gustavo Silva Araújo

Claudio Henrique da Silveira Barbedo

Eduardo Facó Lemgruber

Resumo:

Este estudo tem por objeto de análise empresas de base tecnológica – EBT´s – de origem universitária incubadas, mas que já operam no mercado. Seu propósito é identificar fatores-chave que contribuíram para seu êxito, tanto interna como externamente. Quatro casos são estudados, todos do CIETEC – Centro de Incubação de Empresas Tecnológicas, situado no campus da Universidade de São Paulo, nos setores de instrumentos de laser, produtos odontológicos, automação de processo e biotecnologia. Um questionário semi-estruturado foi utilizado através de um procedimento de entrevista junto a seus sócios principais. Os resultados indicam que, enquanto trajetória, tais empresas têm experimentado os desafios comuns presentes, de um modo geral, em pequenas empresas, como dificuldades para lidar com sócios. Enquanto fatores que têm contribuído para seu êxito, do lado interno destacam-se a criatividade dos colaboradores técnicos e a visão de negócios/competência gerencial dos empreendedores e, do lado externo, o ambiente proporcionado pela universidade em cujo sistema essas empresas se inserem.

4. Determinantes de êxito de empresas tecnológicas de base universitária: um estudo de casos múltiplos no âmbito do CIETEC/USP

Roberto Sbragia

Érica Cristiane Ozório Pereira

Resumo

Este estudo tem por objeto de análise empresas de base tecnológica – EBT´s – de origem universitária incubadas, mas que já operam no mercado. Seu propósito é identificar fatores-chave que contribuíram para seu êxito, tanto interna como externamente. Quatro casos são estudados, todos do CIETEC – Centro de Incubação de Empresas Tecnológicas, situado no campus da Universidade de São Paulo, nos setores de instrumentos de laser, produtos odontológicos, automação de processo e biotecnologia. Um questionário semi-estruturado foi utilizado através de um procedimento de entrevista junto a seus sócios principais. Os resultados indicam que, enquanto trajetória, tais empresas têm experimentado os desafios comuns presentes, de um modo geral, em pequenas empresas, como dificuldades para lidar com sócios. Enquanto fatores que têm contribuído para seu êxito, do lado interno destacam-se a criatividade dos colaboradores técnicos e a visão de negócios/competência gerencial dos empreendedores e, do lado externo, o ambiente proporcionado pela universidade em cujo sistema essas empresas se inserem.

5. Controle do risco de mercado de um fundo de previdência complementar: um modelo integrado de VaR e teste de estresse sob a ótica da teoria do valor extremo.

Sérgio Jurandyr Machado

Antônio Carlor Figueiredo Pinto

Resumo

As metodologias tradicionais de cálculo de valor em risco (VaR) não são adequadas a situações de estresse no mercado financeiro. Os testes de estresse, resposta natural a essas limitações, são analisados de forma dissociada, gerando o encargo adicional de se selecionar os resultados mais prováveis. O objetivo do artigo é analisar a aplicabilidade no mercado brasileiro, do modelo proposto por Aragonés et al. (2001), que integra cenários de estresse ao cálculo do VaR sob a ótica da teoria do valor extremo. O resultado obtido foi comparado ao VaR calculado por meio de uma simulação histórica. As alternativas forma analisadas sob a perspectiva de um plano de previdência do tipo PGBL. A análise permite concluir que o modelo integrado se mostrou mais eficiente na gestão do risco de mercado em momentos de estresse.

6. Gestão de operações em serviços com otimização de custos

Cilene Araújo da Cruz Moro

Resumo

Nas atividades industriais e de serviços, verifica-se a constante preocupação com a alocação eficiente de recursos escassos e a necessidade cada vez maior de utilização de modelos matemáticos que permitam revisões periódicas para que decisões possam ser melhor avaliadas e testadas antes de efetivamente implementadas. Com este enfoque, o presente trabalho, utilizando-se de fundamentos da programação linear, apresenta modelagens de alocação de atividades desenvolvidas por profissionais, sob a responsabilidade operacional e gerencial de uma empresa, para otimização de custos, demonstrando-se nesta aplicação a economia de recursos e o conseqüente aumento de competitividade da estratégia empresarial.

voltar

Insper
linkedin facebook twitter youtube flickr

Insper

Rua Quatá, 300 - Vila Olímpia
- São Paulo/SP -
Brasil
| CEP: 04546-042
| Tel:
(11) 4504-2400

Webmail | Intranet Corporativa
Todos os direitos reservados

Mapa do site Notícias Acessibilidade Fale conosco