Revista de Economia e Administração – vol. 2 – n° 1

Insper Instituto de Ensino e Pesquisa

Sumário

O pensamento econômico em cursos de economia do Paraná

Cristiane Dassi da Silva e

Pery Francisco Assis Shikida …………………………………………..01

Avaliação da capacidade de Market timing dos administradores de fundos mútuos de ações no Brasil

Paulo Roberto Garcia Franz e

Antonio Carlos Figueiredo ………………………………………………33

Estudo empírico sobre economia de escala dos bancos do Brasil

Adriana Fileto Couto e Silva de Oliveira,

Hudson Fernandes de Amaral e

José Afonso Bicalho Beltrão da Silva ………………………………..47

Modelo de decisão financeira em cluster econômico

Wendel Alex de Castro Silva e

Luciana de Oliveira Costa ………………………………………………67

Formação acadêmica do administrador e mercado de trabalho: um estudo em indstrias de médio e grande porte

Maria arlete Duarte de Araújo

Laconcia de Oliveira Araújo…………………………………………….90

Resumo

1. O pensamento econômico em cursos de economia do Paraná

Pery Francisco Assis Shikida

Cristiane Dassi da Silva

Resumo

O objetivo deste trabalho é apresentar tendências do pensamento econômico de cursos de Economia do Paraná [UEL, UEM, UFPR, UNIOESTE (Cascavel e Toledo)] a partir da opinião dos professores sobre temas da economia brasileira. A obtenção dos dados deu-se via aplicação de questionários (por e-mail). Como corolário, em quatro casos houve similaridade em termos de concentração dos respondentes em determinada(s) corrente(s): “Empresa Estatal” (favoráveis ao Desenvolvimentismo do Setor Privado), “Protecionismo” (favoráveis ao Desenvolvimentismo ou do Setor PúAblico Nacionalista ou não Nacionalista, ou da Corrente Socialista), “Déficit Externo” (favoráveis ao Setor Privado ou Setor Público Nacionalista), e “Inflação” (favoráveis ao Setor Público Nacionalista). Em relação aos demais temas – “Capital Estrangeiro”, “Planejamento”, “Salário, Lucro e Distribuição de Renda” e “Reforma Agrária” – a maioria dos professores pesquisados mostrou-se em consonância com o Setor Privado ou Setor Público Nacionalista; no tocante ao “Apoio Financeiro Interno a Investimento”, houve mais aderência com a corrente neoliberal.

2. Avaliação da capacidade de market timing dos administradores de fundos mútuos de ações no Brasil

Paulo Roberto Garcia Franz

Antonio Carlos Figueiredo

Resumo

Em sua versão básica, o CAPM – Capital Asset Pricing Model – oferece uma estrutura teórica de equilíbrio do processo de formação de preços dos ativos de capital compatível com a hipótese de mercado eficiente, amplamente utilizada na avaliação do desempenho dos fundos mútuos de investimento em ações. Com base nos modelos especificados de Treynor e Mazuy (1966) e Henriksson e Merton (1981), derivados do CAPM, buscou-se testar empiricamente a existência de habilidade de market timing dos administradores de fundos mútuos de ações no Brasil no período após o Plano Real. Os resultados não permitiram concluir positivamente pela existência de tal habilidade.

3. Estudo empírico sobre economias de escala dos bancos no Brasil

Adriana Fileto Couto e Silva de Oliveira

Hudson Fernandes Amaral

José Afonso Bicalho Beltrão da Silva

Resumo

O sistema financeiro brasileiro tem passado por profundas transformações desde o início da década de 1990. As crises financeiras mundiais, o Plano Real, a globalização e a concorrência de grupos financeiros estrangeiros trouxeram reflexos profundos para o sistema financeiro. Este artigo foi produzido com base na dissertação de mestrado de sua primeira autora. O objetivo central é apresentar um estudo empírico sobre economias de escala nos bancos no Brasil entre 1997 e 2001. No trabalho, foram utilizados dados econômico-financeiros das demonstrações financeiras de oitenta e cinco bancos comerciais e múltiplos. Os modelos utilizados no estudo foram: função de custo e função de lucro (ambas estimadas por análise da regressão múltipla); e análise tabular. Como resultado do trabalho, foi detectada a presença de economias de escala. A análise tabular detectou indícios de retornos decrescentes de escala. Na análise estratificada para bancos de pequeno porte há indícios de retornos crescentes de escala.

4. Modelo de decisão financeira em cluster econômico

Wendel Alex Castro Silva

Luciana de Oliveira Costa

Resumo

Este ensaio apresenta uma aplicação do modelo dinâmico de análise financeira em clusters econômicos, descrito por Fleuriet et al. (1978) a partir da experiência francesa nessa área de conhecimento e adaptado para as empresas brasileiras. Analisa suas principais variáveis e explica sua relevância como ferramenta estrutural de gestão de liquidez e solvência. A fundamentação teórica considera as características operacionais de aglomerados de empresas. O objetivo é avaliar a dinâmica do comportamento dos elementos patrimoniais de curto prazo, que servirão de estudo para aglomerados de empresas, além de identificar os tipos de estruturas financeiras. A utilização desse modelo deve-se à crença de que suas variáveis refletem mais adequadamente a situação financeira dos clusters além de permitir a identificação de aspectos característicos dos níveis táticos, operacionais e estratégicos das finanças. Finalmente, através das adaptações de seus indicadores, pode-se constAatar maior eficiência da análise financeira em um estudo de caso hipotético.

5. Formação acadêmica do administrador e mercado de trabalho: um estudo em indústrias de médio e grande porte

Maria Arlete Duarte de Araújo

Lacôncia de Oliveira Araújo

Resumo

Este artigo trata da formação acadêmica do administrador e de sua relação com o mercado de trabalho, buscando examinar em que medida a formação acadêmica do adAministrador nas instituições de ensino superior (IES) da cidade do Natal, em termos de habilidades, valores e atitudes, atende às exigências de contratação, permanência, promoção e desligamento de administradores profissionais pelos empregadores industriais locais. Metodologicamente, trata-se de um estudo descritivo-exploratório. Utilizou-se da estatística descritiva para o tratamento e análise dos dados. Dentre as principais conclusões do estudo destacam-se: a formação acadêmica do administrador atende às exigências dos empregadores industriais locais no momento de contratar, permanecer, promover ou desligar um administrador profissional de seus quadros funcionais; não existem grandes diferenças entre as habilidades requeridas pelos empregadores industriais e as habilidades presentes na formação acadêmica do administrador pelas IES; valores e atitudes importantes para o empregador são trabalhados nas IES apenas de modo marginal, a partir de ações ocasionais por parte dos professores.

voltar

 Insper – Revista de Economia e Administração – 10 anos

Insper
linkedin facebook twitter youtube flickr

Insper

Rua Quatá, 300 - Vila Olímpia
- São Paulo/SP -
Brasil
| CEP: 04546-042
| Tel:
(11) 4504-2400

Webmail | Intranet Corporativa
Todos os direitos reservados

Mapa do site Notícias Acessibilidade Fale conosco