Revista de Economia e Administração – vol. 11 – n° 4

Insper Instituto de Ensino e Pesquisa

ARTIGOS

Uma análise do hiato do produto brasileiro

Felipe Alduíno Alves e Ricardo Dias de Oliveira Brito…………………….407-425

Barreiras à entrada: um estudo do setor calçadista do Vale dos Sinos/RS

Herton Castiglioni Lopes e Pascoal José Marion Filho…………………….426-443

Comportamiento de los consumidores con relación los embalajes de los produtos

Nara Medianeira Stefano……………………………………………………………..444-461

Exame de margem de garantia e volatilidade sobre volume negociado: evidências para o mercado de futuros agropecuários da BM&FBOVESPA

Helton Neves Canguçú Oliveira, Leonardo Bornacki Mattos e

Maria Micheliana da Costa Silva…………………………………………………..462-481

Exportações de carne bovina: uma análise acerca da eficácia do sistema de rastreabilidade implantado na cadeia produtiva no Brasil

Nelson Roberto Furquim e Denise Cavallini Cyrillo………………………..482-505

CASO DE ENSINO

Laboratórios Stiefel Brasil – repensando o modelo de negócios:

um caso de ensino

Lars Meyer Sanches e Paulo Roberto Dias……………………………………..506-526

 

Uma análise do hiato do produto brasileiro

Felipe Alduíno Alves

Ricardo Dias de Oliveira Brito

Resumo

Este artigo faz um estudo comparativo de medidas alternativas do hiato do produto brasileiro. Além de caracterizar ciclos de negócios, mede as relações inflação-hiato, bem como observa as contribuições na previsão da inflação resultante de cada alternativa. Os hiatos mostraram-se altamente correlacionados entre si e suas indicações da fase do ciclo de negócios coincidiram bastante com a datação do Comitê de Datações de Ciclos Econômicos (CODACE). As medidas de hiato parecem capturar a relação positiva inflação-hiato suposta na curva de Philips, sendo capaz de superar o modelo autoregressivo univariado de inflação na previsão da inflação futura. Dentre os hiatos analisados, uma versão simplificada de Labauch e Williams (2003) apresenta as melhores previsões.

Palavras-chave: PIB potencial; Hiato de produto; Ciclo de negócios; Curva de Phillips.

 

Barreiras à entrada: um estudo do setor calçadista do Vale dos Sinos/RS

Herton Castiglioni Lopes

Pascoal José Marion Filho

Resumo

A análise das barreiras à entrada existentes em cada ramo de atividade se torna um fator chave de sucesso tanto para as empresas já estabelecidas como para as interessadas em ingressar no mercado. Diante disso, este artigo tem o objetivo de analisar as barreiras à entrada existentes no setor calçadista do Vale dos Sinos/RS e demonstrar a importância dessa análise para o desempenho competitivo das empresas. Para tanto, foram aplicados

questionários às empresas fabricantes de calçados localizadas na região do Vale dos Sinos/RS.

Os resultados mostraram que a principal barreira nesta indústria é o valor do capital inicial a ser investido, seguido da dificuldade de obter mão-de-obra especializada, da necessidade de uma escala mínima de produção e da marca conhecida. A partir disso, ficou claro como as barreiras afetam a formulação e implantação de estratégias, assim como o desempenho

das empresas ligadas ao setor.

Palavras-chave: Barreiras à entrada; Setor calçadista; Competitividade.

 

 

Comportamiento de los consumidores com relación los embalajes de los produtos

Nara Medianeira Stefano

Resumo

A embalagem vem sendo considerada o maior veículo de venda e de construção da marca e da identidade do produto, uma vez que representa o primeiro contato do consumidor com esse produto, sendo fundamental para sua escolha e compra. A embalagem é o vendedor silencioso. Cabe a ela atrair a atenção, provocar o interesse e o desejo, mostrar a qualidade

do produto e fechar a venda em segundos. A embalagem contribui na comunicação entre empresas e consumidores, fornece proteção, armazenagem e conveniência, à medida que os produtos se movimentam na cadeia de valor. O produto não pode ser planejado separadamente

da embalagem, e esta não deve ser definida apenas com base em aspectos de engenharia, marketing, comunicação ou economia. As indústrias de embalagens aproveitam a oportunidade de diferenciação de seus produtos através da embalagem, percebendo que não basta ser bonita, inviolável ou preservar o sabor e frescor dos alimentos. O conceito de embalagem se ampliou, ganhando status de produto, capaz de comunicar a mesma linguagem de conveniência onde quer que ela esteja. O objetivo desta pesquisa é analisar, na percepção dos consumidores, os atributos mais importantes com relação à embalagem dos produtos no momento da compra.

Palavras-chave: Embalagens; Produtos; Comportamento do consumidor.

 

 

Exame de margem de garantia e volatilidade sobre volume negociado: evidências para o mercado de futuros  agropecuários da BM&FBOVESPA

Helton Neves Canguçú Oliveira

Leonardo Bornacki Mattos

Maria Micheliana da Costa Silva

Resumo

Um sistema de margem ótimo em mercados futuros deve assegurar equilíbrio entre o custo de transação para seus negociantes e uma margem de salvaguarda para a clearing house. Este estudo analisa a relação empírica entre mudanças na margem de garantia e o volume negociado

de contratos futuros de boi gordo, café arábica e soja comercializados na BM&FBOVESPA.

São estimados modelos de heterocedasticidade condicional generalizados (GARCH-M) univariados. Os resultados indicam relação positiva entre margem de garantia e volume negociado para o mercado futuro de boi gordo e de café arábica, e relação não significativa para contratos futuros de soja. Verifica-se também impacto negativo do volume defasado sobre a

volatilidade de preços.

Palavras-chave: Exigência de margem; Volatilidade; Volume negociado; GARCH-M.

 

 

Exportações de carne bovina: uma análise acerca da eficácia do sistema de rastreabilidade implantado na cadeia produtiva no Brasil

Nelson Roberto Furquim

Denise Cavallini Cyrillo

Resumo

A carne bovina é um importante segmento do agronegócio brasileiro, com elevada participação no valor das exportações do País. Este artigo objetiva descrever e comparar a legislação brasileira que ampara o Sistema de Identificação e Certificação de Bovinos e Bubalinos (SISBOV) às

exigências internacionais de rastreabilidade de carne bovina, tendo como base a estrutura de produção pecuária brasileira e a legislação internacional de alguns países pioneiros na utilização

de sistemas de identificação e rastreabilidade das cadeias produtivas de alimentos. Para o estudo brasileiro foram usados dados secundários oficiais do Ministério da Agricultura, Pecuária e Abastecimento (MAPA), da Secretaria de Comércio Exterior do Ministério do Desenvolvimento,

Indústria e Comércio Exterior (SECEX/MDIC), do Instituto Brasileiro de Geografia e Estatística (IBGE), da Organização das Nações Unidas para Agricultura e Alimentação (FAO), e da Associação Brasileira das Indústrias Exportadoras de Carne (ABIEC), bem como documentos

que estabelecem a política de alimentos seguros, do MS e do MAPA. O estudo da legislação internacional foi baseado em documentos oficiais dos Estados Unidos, Canadá e União Europeia (UE). O SISBOV foi desenvolvido para atender exigências impostas internacionalmente, em

especial pela UE, para importação de carne bovina brasileira. A adesão a esse sistema envolve uma série de ajustes na gestão dos vários elementos da cadeia produtiva de carne para viabilizar a sua exportação. Do ponto de vista de sua estrutura, esse sistema atende às exigências do mercado

europeu e se mostra factível para produtores e frigoríficos mais capitalizados. De forma adicional, o SISBOV constitui-se, potencialmente, como um mecanismo inibidor de eventuais práticas ilegais, como abates clandestinos e sonegação de impostos.

Palavras-chave: Rastreabilidade; Carne bovina; Segurança alimentar.

 

 

Laboratórios Stiefel Brasil – repensando o modelo de negócios: um caso de ensino

Lars Meyer Sanches

Paulo Roberto Dias

Resumo

A Stiefel é um laboratório multinacional líder no segmento dermatológico brasileiro, reconhecido pela alta qualidade de seus produtos e por seu forte vínculo com os médicos. Nos últimos anos, sua liderança tem sido ameaçada pela entrada de novos concorrentes e por problemas

de indisponibilidade de produtos nas farmácias. O protagonista do caso, Diretor de Vendas e Logística, precisa montar um plano para estancar a perda de market share e tirar proveito do grande potencial de crescimento do mercado. Para isso, ele deve identificar a causa-raiz da falta de produtos e propor mudanças. Ao longo do caso, mostra-se que a indisponibilidade de

produtos é provocada pela grande flutuação das vendas ao longo das semanas do mês, resultante da política comercial da empresa, e como a oscilação das vendas prejudica o desempenho de diversas áreas da empresa, em especial as de Logística e Manufatura. Além disto, aponta os

motivos de a empresa adotar uma determinada política comercial e as dificuldades de mudá-la.

Disciplinas de aplicação: Gestão da cadeia de suprimentos; Logística; Canais de distribuição;

Gestão de operações.

voltar

 Insper – Revista de Economia e Administração – 10 anos

Insper
linkedin facebook twitter youtube flickr

Insper

Rua Quatá, 300 - Vila Olímpia
- São Paulo/SP -
Brasil
| CEP: 04546-042
| Tel:
(11) 4504-2400

Webmail | Intranet Corporativa
Todos os direitos reservados

Mapa do site Notícias Acessibilidade Fale conosco