Revista de Economia e Administração – vol. 1 – n° 3

Insper Instituto de Ensino e Pesquisa

Sumário

Raízes econômicas da criminalidade violenta no Brasil: um estudo usando micro dados e pseudopainel – 1981/1996

Ari Francisco de Araujo Jr. ……………………………………………..01

Características da relação entre taxas SELIC e CDI e suas implicações

Ney Roberto Ottoni de Brito e

Affonso Corrêa Taciro Junior ………………………………………….35

Avaliação da capacidade ociosa utilizando o modelo de opções reais

Haroldo Guimarães Brasil ………………………………………………53

Modelo de mensuração dos benefícios econômico-financeiros na utilização de uma manufatura enxuta

Hong Yuh Ching …………………………………………………………..63

A administração tributária dos municípios brasileiros: aplicação da análise de clusters para elaboração de uma tipologia do comportamento tributário municipal

José Américo Martelli Tristão ………………………………………….79

Resumo

1. Raízes econômicas da criminalidade violenta no Brasil: um estudo usando micro dados e pseudopainel – 1981/1996

Ari Francisco de Araujo Jr.

Resumo

O presente artigo pretende fornecer evidências empíricas sobre a importância das variáveis econômicas na explicação das taxas de homicídio dos estados brasileiros, no período de 1981 a 1996, baseado em Becker (1968). Os resultados mostram que o ambiente econômico tem sua parcela de “culpa” na variação das taxas brutas de homicídio observada nos estados do Brasil nesse período. É observado que as variáveis econômicas têm seu próprio ciclo de vida, mas elas explicam apenas parcialmente o ciclo de vida das taxas de homicídio. Os resultados das estimativas dos determinantes do crime foram extremamente satisfatórios, já que todas as variáveis do modelo básico (que inclui controle para efeitos fixos de estado, período, idade e interativos) são significativas e apresentam os sinais esperados. Quantitativamente, por exemplo, um aumento de 10% na renda da coorte levaria a uma queda de 3% nos homicídios. Outro resultado interessante é que, em alguma medida, o efeito das variáveis econômicas é diferenciado dependendo da faixa etária

2. Características da relação entre taxas SELIC e CDI e suas implicações

Ney Roberto Ottoni de Brito

Affonso Corrêa Taciro Junior

Resumo

Uma prática generalizada do mercado de gestores de fundos de investimentos é supor, implícita ou explicitamente, que as diferenças entre as taxas SELIC e CDI são desprezíveis e irrelevantes. Este trabalho examina a validade desta suposição. Inicialmente, o trabalho examina a evolução da relação entre as taxas SELIC e CDI no passado recente. A seguir, o estudo analisa a evolução da relação entre as taxas e de sua volatilidade com a aproximação das reuniões do COPOM e do fim/início de cada mês, utilizando a metodologia de estudo de eventos. Todas as análises da relação entre as taxas SELIC e CDI partem de um banco de taxas diárias de 01/01/1991 a 31/12/2001. As análises no contexto da metodologia de estudo de eventos consideram todas as reuniões mensais do COPOM a partir da reunião de 26/06/1996 e até a reunião de 20/12/2001 – um total de 67 reuniões do COPOM. Os resultados obtidos indicam que a suposição de que as diferenças entre as taxas SELIC e CDI são desprezíveis não tem fundamento empírico e a relação entre as taxas é bastante volátil. Adicionalmente, os resultados indicam que a aproximação de reuniões do COPOM associadas a variações expressivas na taxa meta SELIC tem efeitos importantes sobre a relação entre as taxas e sobre a sua volatilidade. Estes resultados têm implicações para as atividades de trading, de gestão de fundos de investimentos, de sistemas de avaliação de desempenho e sistemas de medida e controle de risco de carteiras e fundos que serão discutidas ao longo deste trabalho.

3. Avaliação da capacidade ociosa utilizando o modelo de opções reais

Haroldo Guimarães Brasil

Resumo

Este trabalho focaliza a avaliação de uma empresa com capacidade ociosa. Uma vez caracterizado o conceito de ociosidade e estabelecido seu papel no escopo competitivo das grandes e médias empresas, devemos nos preocupar com o seu processo de avaliação. Utilizaremos o modelo de opções reais (real options) como método de avaliação. A escolha desse modelo se justifica pelo fato de que o aumento da utilização da capacidade de produção compreende, no curto prazo, uma flexibilidade gerencial (e, portanto, uma opção) valiosa. O modelo de opções reais nos proporciona a apuração mais interessante do valor de uma flexibilidade gerencial ou estratégica.

4. Modelo de mensuração dos benefícios econômico-financeiros na utilização de uma manufatura enxuta

Hong Yuh Ching

Resumo

Este trabalho tem como proposta desenvolver um modelo de mensuração dos resultados econômico-financeiros advindos proporcionados pelo sistema de manufatura enxuta. Esses benefícios serão decorrentes das seguintes dimensões competitivas: flexibilidade, confiabilidade, velocidade, qualidade e custo, dimensões essas que sustentam os objetivos estratégicos da empresa e reforçam o papel da manufatura na criação de diferenciais competitivos. Os objetivos estratégicos estabelecidos neste modelo consideram um objetivo econômico-financeiro (voltado aos acionistas e administração da empresa), um objetivo voltado ao cliente, um voltado ao desenvolvimento interno (processos da organização) e o último voltado para aprendizagem. A integração entre esses objetivos e as dimensões consistirá em um conjunto de medidas financeiras e operacionais que assegure o cumprimento dos objetivos da empresa e reflita os benefícios proporcionados pelas dimensões.

5. ADMINISTRAÇÃO TRIBUTÁRIA DOS MUNICÍPIOS BRASILEIROS: aplicação da análise de clusters para elaboração de uma tipologia do comportamento tributário municipal

José Américo Martelli Tristão

Resumo

Este artigo propõe uma tipologia para o comportamento tributário dos municípios brasileiros com o objetivo de auxiliar na compreensão das dificuldades enfrentadas pelos governos municipais na cobrança dos tributos de sua competência. A pesquisa abrange 4.617 municípios, agrupados segundo a importância de cada tributo no cômputo de sua receita total. Os agrupamentos foram obtidos empregando-se análise de clusters, uma técnica de análise multivariada que permite encontrar e separar grupos similares. Também foram considerados os aspectos referentes ao grau de urbanização e à densidade demográfica dos municípios para explicar o desempenho da arrecadação tributária.

voltar

 Insper – Revista de Economia e Administração – 10 anos

Insper
linkedin facebook twitter youtube flickr

Insper

Rua Quatá, 300 - Vila Olímpia
- São Paulo/SP -
Brasil
| CEP: 04546-042
| Tel:
(11) 4504-2400

Webmail | Intranet Corporativa
Todos os direitos reservados

Mapa do site Notícias Acessibilidade Fale conosco