Home/Pesquisa e Conhecimento/Centro de Gestão e Políticas Públicas/Núcleo Ciência pela Gestão Educacional

Núcleo Ciência pela Gestão Educacional

Ao longo das duas primeiras décadas do milênio, o Brasil já dedicou mais do que 85% de um PIB anual na busca de garantir o direito à educação para todos. A despeito desse esforço, o País continua muito distante do seu objetivo constitucional, a garantia do direito à educação para todos, e está na eminência de não cumprir nenhuma das sete metas do Plano Nacional de Educação envolvendo resultados da educação básica[1]. Portanto, do ponto de vista da política educacional, a questão central é: Em que medida existem ou podem ser desenvolvidas ações que, uma vez implementadas nas redes públicas de ensino, serão capazes de melhorar de forma eficaz e substancial a gestão educacional, e, por esse caminho, promover avanços na garantia do direito à educação para todos?

Qualquer que seja a estratégia adotada para desenvolver novas ações ou identificar e aprimorar as já existentes, é inquestionável a contribuição que a utilização do método e o conhecimento científico podem aportar. O Núcleo Ciência para a Gestão Educacional é uma parceria do Insper com o Instituto Unibanco voltada para aproveitar e direcionar a capacidade cientifica no Insper em apoio a:

a) Mapear, descrever e avaliar ações voltadas a promoção de melhorias na gestão educacional com o objetivo de identificação e certificação de boas práticas,

b) Compreender as relações entre gestão, funcionamento e resultados educacionais. Como e por quais canais uma melhor gestão leva a melhores resultados educacionais?

c) Decifrar e validar modelos de mudança de ações que objetivam aprimorar a gestão de redes públicas de ensino,

d) Aperfeiçoar o desenho de ações dirigidas a melhoria da gestão de redes públicas de ensino e o desenvolvimento de novas ações ou componentes.

Dentro do âmbito desta parceria, o Insper busca:

a) Identificar o potencial de melhorias em gestão em promover a garantia do direito universal à educação,

b) Contribuir teoricamente e empiricamente na construção de modelos para a relação entre melhorias na gestão e funcionamento escolar com o desempenho educacional.

c) Avaliar a eficácia, efetividade e eficiência de ações e programas existentes na promoção de melhorias em gestão em redes públicas e quais mecanismos levam a que alcancem ou não sucesso,

d) Contribuir teoricamente na construção de modelos de mudança para ações já desenvolvidas ou em desenvolvimento,

e) Identificar em quais contextos e sob quais condições ações voltadas a promoção de melhorias em gestão tendem a ser mais eficazes,

f) Identificar adaptações necessárias para que a eficácia seja preservada, se tornando menos sensível ao contexto

g) Validar empiricamente o modelo de mudança de ações já desenvolvidas ou em desenvolvimento,

h) Avaliar ex ante e ex post a eficiência, eficácia e efetividade das ações desenvolvidas ou em desenvolvimento. Validar soluções para uso em escala.

[1] Metas 1ª a 3ª, 5ª e 7ª a 9ª.