Cátedra Ruth Cardoso

Conheça nossas áreas de pesquisas e atividades

As cátedras viabilizam, por meio de doações de parceiros e amigos do Insper, a realização de pesquisa acadêmica. Seus estudos traduzem-se em políticas públicas e conhecimento aplicado que são debatidos e disseminados para a sociedade.

Criada em 2018, a Cátedra Ruth Cardoso integra as atividades do Centro de Políticas Públicas (CPP), por meio da produção de pesquisas para estimular o debate e avaliação das políticas públicas no Brasil. A cátedra é fruto de uma doação da Haddad Foundation e tem o professor Naercio Menezes Filho como pesquisador responsável.

Com foco em pesquisas sobre políticas públicas, os estudos da cátedra priorizam a igualdade de oportunidades, com atenção para a primeira infância e educação básica. Também atuam na análise dos índices de violência e de aumento de produtividade.

A atuação da antropóloga Ruth Cardoso durante o governo de Fernando Henrique Cardoso colaborou para tornar pública uma imensa base de dados, que contribuiu para avaliação do desempenho das políticas públicas.

Equipe: Coordenador Naercio Menezes

 

Núcleo Ciência pela Infância (NCPI)

Núcleo Ciência pela Infância (NCPI) é uma parceria do Insper com cinco organizações: Fundação Maria Cecilia Souto Vidigal (FMCSV), Faculdade de Medicina da Universidade de São Paulo (FMUSP), Center on the Developing Child (CDC) e David Rockefeller Center for Latin American Studies (DRCLAS), ambos da Universidade de Harvard, e Hospital Infantil Sabará.

Seu principal objetivo é contribuir para a melhora das políticas públicas brasileiras voltadas ao desenvolvimento da primeira infância, por meio da “tradução” do conhecimento científico, produzido por pesquisadores, para uma linguagem mais acessível à sociedade.

Simpósio Internacional de Desenvolvimento da Primeira Infância

Os Simpósios abordam temas ou estratégias de aplicação da ciência para a influência nas práticas e políticas públicas para crianças pequenas. Saiba mais.

Contribuições do NCPI

No dia 8/3/2016, a Presidência da República sancionou a lei que cria a Política Nacional Integrada para a Primeira Infância. Saiba mais sobre o Marco Legal da Primeira Infância.

Acesse os working papers produzidos pelo NCPI:

O impacto do desenvolvimento na primeira infância sobre a aprendizagem

Programa de Liderança Executiva

Uma das iniciativas no Núcleo é o Programa de Liderança Executiva em Desenvolvimento da Primeira Infância, que teve a sua primeira edição em 2012. O programa tem como objetivo engajar políticos e gestores públicos, das três esferas do governo, no diálogo sobre a aplicação da ciência do desenvolvimento da primeira infância e como aplica-la para minimizar alguns dos maiores problemas sociais brasileiros.

É destinado a gestores públicos, bem como aos gestores de instituições sem fins lucrativos e organizações não governamentais que prestam serviços públicos. A admissão é baseada na experiência do candidato, na amplitude de sua responsabilidade e em seu interesse no DPI.

Educação

Panoramas da Educação Brasileira

As apresentações e planilhas reúnem informações sobre taxas de participação, desemprego e salários médios para mostrar as tendências mais gerais do que vem ocorrendo no mercado de trabalho brasileiro nos últimos anos.

 

Outros estudos sobre Educação

A partir de dados da Pnad, o artigo analisa quais são os determinantes dos gastos com educação no Brasil. Examina os fatores que levam uma família a optar por matricular ou não seus filhos em uma escola privada e os gastos das famílias brasileiras com educação.

Este artigo estima os gastos totais privados com educação no Brasil, utilizando os microdados de gastos das famílias brasileiras da Pesquisa de Orçamentos Familiares para os anos de 2002/2003 e 2008/2009.

Mercado de Trabalho

Panoramas do Mercado de Trabalho

Utilizam dados da Pesquisa Nacional por Amostra de Domicílios (PNAD), realizada anualmente pelo Instituto Nacional de Geografia e Estatística (IBGE). São produzidos para ampliar e subsidiar o debate sobre a economia brasileira e o mercado de trabalho com informações relevantes.

Nessa apresentação, utilizamos informações sobre taxas de inatividade e desemprego, salários médios e horas trabalhadas para mostrar as tendências mais gerais do que vem ocorrendo no mercado de trabalho brasileiro nos últimos anos. O período analisado foi de 1992 a 2015.


O Panorama do Mercado de Trabalho PNAD Contínua traz informações sobre taxas de participação e desemprego, salários médios e salário per capita, para mostrar as tendências mais gerais do que vem ocorrendo no Brasil a cada trimestre desde 2012.


O Panorama do mercado de trabalho brasileiro traz informações sobre taxas de inatividade e desemprego, salários médios e horas trabalhadas para mostrar as tendências mais gerais do que vem ocorrendo no Brasil nos últimos anos.

 

Outros estudos sobre Mercado de Trabalho

Douglas Uemura Nunes, Naercio Menezes Filho, Bruno Kawaoka Komatsu

Este artigo avalia as probabilidades de admissão e desligamento no mercado de trabalho brasileiro, e mensura sua contribuição para a variabilidade cíclica da taxa de desemprego no país. Para isso, é utilizada uma metodologia recente, que permite a obtenção das probabilidades através dos estoques de empregados e desempregos corrigindo o viés de agregação de tempo. Verificamos que, para o período de 1983 a 2001, as oscilações da taxa de admissão foram responsáveis por 75% da variabilidade da taxa de desemprego nas principais regiões metropolitanas do Brasil. Entre 2004 e 2013 a taxa de admissão explica 80% dessas variações.


Bruno Kawaoka Komatsu, Naercio Menezes Filho

Nos anos 2000 o mercado de trabalho brasileiro apresentou diversas transformações, em paralelo ao acelerado crescimento real do salário mínimo (SM) e à ampliação do setor formal. Assim, o objetivo deste artigo é avaliar o peso desses dois fatores, das mudanças nas condições de oferta e de demanda e das características da força de trabalho sobre a distribuição salarial entre 2004 e 2014. Os resultados obtidos indicam que o SM contribuiu para reduzir a dispersão salarial, especialmente entre as mulheres e no estrato mais baixo da distribuição. Entre aqueles com maior renda, o principal fator para reduzir tal dispersão foram as condições de oferta e de demanda.


Levantamento mostra que não houve efetividade na lei criada em 2006 para incentivar a formalização do emprego doméstico.


Um panorama da evolução recente dos principais indicadores do mercado de trabalho e os determinantes da escolha profissional.


Estudo analisa os efeitos do aumento da geração de emprego e dos programas de transferência de renda sobre a desigualdade.


Estudo mostra que as mulheres têm ascensão mais restrita ao cargo de CEO quando a empresa em que trabalham tem um Conselho de Administração.


Um estudo sobre a distribuição ocupacional de homens e mulheres no Brasil no período de 1978 a 2007.


Uma análise das diferentes participações dos gêneros no trabalho doméstico e a influência dessa participação no mercado de trabalho.

Criminalidade

Relatórios de vitimização

Relatório elaborado pelo Centro de Políticas Públicas compara as taxas de vitimização na cidade de São Paulo em 2003 e 2008. Os dados foram obtidos na entrevista de 5 mil pessoas no ano de 2003 e de 2.967 em 2008, tendo 19,1% dos entrevistados participado dos dois levantamentos, caracterizando um painel.


Concurso

Com o objetivo de incentivar estudos e contribuir para melhorias na cidade de São Paulo, o CPP realizou em 2010 o concurso “Determinantes da Vitimização em São Paulo ao longo do tempo”, que avaliou projetos que analisaram os determinantes da vitimização na região a partir de base de dados coletados pelo Centro de Políticas Públicas.

Conheça as pesquisas vencedoras:

 

Saúde

Este trabalho traz observações sobre as condições gerais de saúde da população brasileira nos anos de 1998, 2003 e 2008, incluindo uma comparação entre as pessoas que possuem diferentes tipos de cobertura de saúde (para o ano de 2008).


Este estudo do CPP consiste na análise dos dados da PNAD e na construção de um quadro geral com o perfil do doente no Brasil. O relatório busca, ainda, entender a dinâmica do serviço e utilização dos serviços de saúde pela população.

Eleições

Uma análise do primeiro mandato do presidente Luiz Inácio Lula da Silva.


Estudo mostra a existência de ciclos oportunistas e partidários na gestão dos orçamentos municipais no Brasil.


O cientista político Carlos Melo analisa a crise política de 2005, que ficou conhecida como “O Escândalo do Mensalão”, maior crise políticas enfrentada pelo presidente Luis Inácio Lula da Silva.

 

Organização Industrial

Estudo mostra que existe poder de mercado na relação comercial entre produtores rurais e frigoríficos no estado de São Paulo. Os resultados indicam que a recente onda de consolidação do setor não teve reflexo na conduta competitiva das firmas.

Comércio Internacional

Estudo analisa os efeitos da liberalização do comércio sobre crescimento da produtividade no Brasil. Os pesquisadores verificaram se a relação positiva entre abertura e crescimento é resultado de um aumento da concorrência ou do acesso a incentivos como novas tecnologias e redução de tarifas, por exemplo.

 

Luís Victor Mota Freitas, Rodrigo Mahlmeister, Naercio Menezes Filho,
Bruno Kawaoka Komatsu

 


Manuela Mesquita de Magalhães, Carolina Pedrosa Gomes de Melo, Naercio Menezes Filho, Bruno Kawaoka Komatsu

 


Paulo José Mencacci Costa, Naercio Menezes Filho, Bruno Kawaoka Komatsu

 


Pedro José Gandra, Mateus Santos Rodrigues, Naercio Menezes Filho, Bruno Komatsu

 


Renato Herdeiro, Naercio Menezes Filho, Bruno Komatsu

 


Gustavo Marcos Szniter Mentlik, Naercio Menezes-Filho, Bruno Kawaoka Komatsu

 


Vitor Oliveira, Naercio Menezes-Filho, Bruno Komatsu, Henrique Augusto Hott

 


Roberto Hsu Rocha, Naercio Menezes-Filho, Bruno Kawaoka Komatsu

 


Vitor Oliveira, Naercio Menezes Filho, Bruno Komatsu

 


Mateus Santos Rodrigues, Naercio Menezes Filho, Bruno Kawaoka Komatsu

 


Rodrigo Mahlmeister, Bruno Kawaoka Komatsu, Naercio Menezes Filho

 


Alex Hayato Sassaki, Giovanni Di Pietra, Naercio Menezes Filho, Bruno Komatsu

 


Renato Herdeiro, Naercio Menezes-Filho

 


Gabriel Nemer Tenoury, Naercio Menezes-Filho

 


Reynaldo Fernandes, Naercio Menezes-Filho, André Portela Souza, Bruno Komatsu, Gustavo Marcos Mentlik

 


Bruno Komatsu, Naercio Menezes-Filho, Pedro Oliveira, Leonardo Viotti

 


Rodrigo Mahlmeister, Sergio Guimarães Ferreira, Fernando Veloso, Naercio Menezes-Filho, Bruno Kawaoka Komatsu

 


Victorio Amoroso Neto, Naercio Menezes-Filho, Bruno Kawaoka Komatsu

 


Maria Julia de Barros Ferreira, Naercio Menezes Filho, Bruno Komatsu

 


Stefanno Ruiz Manni, Naercio Menezes Filho, Bruno Kawaoka Komatsu

 


Leandro Anazawa, Marcelo Sanchez Guedes, Bruno Kawaoka Komatsu, Naercio A. Menezes Filho

 


Guilherme Denes, Naercio Menezes-Filho, Bruno Komatsu

 


Naercio Menezes Filho, Alison Pablo Oliveira, Roberto Hsu Rocha, Bruno Komatsu

 


Camila Monaro Silva, Naercio Menezes Filho, Bruno Komatsu

 


Caterina Soto Vieira, Naercio Menezes Filho, Bruno Komatsu

 


Lara Vilela, Naercio Menezes Filho, Thiago Yudi Tachibana

 


Bruno Komatsu, Naercio Menezes Filho

 


Felipe Silva, Naercio Menezes Filho, Bruno Komatsu

 


Thiago Yudi Tachibana, Naercio Menezes Filho, Bruno Komatsu

 


Pedro Cabanas, Bruno Komatsu e Naercio Menezes Filho

 


Naercio A. Menezes Filho, Gabriela Campos, Bruno Komatsu

 


Naercio Menezes Filho, Bruno Komatsu, Andrea Lucchesi e Marcelo Ferrario

 


Naercio A. Menezes Filho, Pedro Henrique Fonseca Cabanas e Bruno Kawaoka Komatsu

 


Naercio A. Menezes Filho e Alison Pablo de Oliveira

 


Naercio A. Menezes Filho; Marcos Ki Hyung Lee & Bruno Kawaoka Komatsu

 


Naercio A. Menezes Filho; Pedro Henrique Fonseca Cabanas & Bruno Kawaoka Komatsu

 


Marcos de Barros Lisboa e Samuel de Abreu Pessoa

 


Naercio A. Menezes-Filho & Luiz Guilherme Scorzafave

 


Naercio A. Menezes-Filho

 


Naercio A. Menezes-Filho & Diana Fekete Nuñez

 


Naercio A. Menezes-Filho & Luiz Guilherme Scorzafave

 


Naercio A. Menezes-Filho & Luiz Guilherme Scorzafave