Home/Noticias/Se a esclerose é institucional, a ruptura não é o melhor remédio