Home/Noticias/Penso, logo existo: as máquinas são capazes de filosofar como os humanos?