Home/Noticias/Na esterilidade do governo Temer, economia e política não se casam