Home/Noticias/Crise e a “readequação à realidade”