Princípios da boa liderança

Marcos Lisboa usa exemplos da carreira ao abordar conceitos de uma gestão pública eficiente

O presidente do Insper, Marcos Lisboa, ministrou uma aula em que apresentou princípios que podem fazer diferença no êxito de uma administração pública. Os conceitos, que foram aprendidos durante a trajetória do profissional, aplicam-se no dia a dia dos gestores públicos. O economista atuou como Secretário de Política Econômica do Ministério da Fazenda entre 2003 e 2005 e como presidente do Instituto de Resseguros do Brasil entre 2005 e 2006.

O primeiro conceito abordado sugeriu que ideias de reformas e de melhorias na gestão pública devem ser discutidas como casos particulares, evitando a discussão de uma tese geral. Um bom exemplo dessa estratégia é o Brexit, a saída da Grã-Bretanha da União Europeia, que ao invés de ter debatido as dificuldades específicas decorrentes da adesão, partiu diretamente para a grande discussão da permanência ou exclusão do bloco.

Lisboa afirmou que é melhor optar por pequenas reformas do que investir esforços em projetos de grande amplitude. “Os pequenos problemas são imensos para a nossa economia. Em geral, os grandes temas acabam criando grandes obstáculos”, explicou Lisboa.

Marcos-Lisboa-EE-2

Para Lisboa, agências independentes deveriam avaliar os resultados de setores como educação, saúde e infraestrutura

O bom líder também precisa atentar-se a preconceitos relacionados
a ideias e pessoas. As críticas e oposições podem ser valiosas para refinar uma proposta, e a ampla consulta pode trazer melhor atendimento do impacto das medidas em estudo.

Lições da história

O economista deu destaque para o risco da persistência em políticas inadequadas. Ele ressalta que nossos gestores públicos ainda têm muita dificuldade em aprender com a nossa história. “Neste início de milênio, pela terceira vez o Brasil tentou desenvolver uma indústria naval a partir de uma visão protecionista que não observou o custo de oportunidade relacionado a essa empreitada. O resultado é que esse setor não decolou, sobraram dívidas e empresas falidas. Isso sem contar os agentes econômicos que querem perpetuar os benefícios concedidos”, disse Lisboa.

Entre os outros princípios apresentados pelo presidente do Insper durante a aula destaca-se o da avaliação independente, que é de importância vital para o momento do país. Na avaliação de Lisboa, agências independentes deveriam avaliar os resultados de setores como educação, saúde e infraestrutura, nos quais o país emprega vultosos recursos e não consegue garantir uma gestão eficiente que atenda aos anseios da sociedade. Afinal de conta, sem saber medir, como é possível evoluir?

Políticas Públicas em questão

A aula ministrada por Marcos Lisboa integrou o curso “O Papel das Políticas Públicas no Desenvolvimento do País”. Realizado em parceria pelo Insper com a Leadership Academy for Development (LAD), o programa ocorreu na semana de 27 de junho a 1º de julho de 2016. Em sete anos desde que foi criado, o curso já passou por Ásia, África, América do Norte, América Latina e chega agora ao Brasil.

Saiba mais sobre o curso neste especial: Políticas Públicas em questão.

Acesse também outros textos pelos links:

Acesse o especial em PDF aqui.

Saiba mais sobre o Centro de Políticas Públicas do Insper.