O brasileiro poupa o suficiente para a aposentadoria?

Pesquisa indica que 95% dos brasileiros não precisariam poupar para manter o padrão de vida depois de se aposentarem

Pesquisa realizada pelo professor Ricardo D. Brito e pelo alumnus Paulo T. P. Minari,com base na Teoria do Ciclo de Vida, chegou a uma conclusão surpreendente: mantidas as regras atuais de previdência e assistência social, 95% dos brasileiros não precisariam poupar um centavo durante a idade ativa para garantir o mesmo padrão de vida depois de se aposentarem. E, mesmo sem poupar, a tendência seria que a renda per capita aumentasse com a aposentadoria.

“Uma baixa taxa de poupança voluntária é a reação correta da perspectiva do brasileiro médio que planeja um consumo estável, crente na manutenção do arranjo previdenciário vigente”, conclui o estudo. “Não fosse o altíssimo spread bancário, seria ótimo para o brasileiro médio se endividar na fase ativa para elevar seu nível de consumo.”

Entre 1970 e 2010, a expectativa de vida no Brasil saltou de 58,6 anos para 73,4 anos. Ainda assim, segundo pesquisa de Fábio Giambiagi citado por Brito e Minari, apenas um quarto dos brasileiros está preocupado com a aposentadoria. Mas os números dão razão à maioria.

De acordo com Brito e Minari, a poupança voluntária para a aposentadoria aparece como necessária apenas para famílias com renda mensal superior a R$ 40.000. Ainda assim, a razão entre riqueza complementar e salário anual é bastante inferior ao padrão norte-americano.

As razões principais para a manutenção do padrão de vida pós-aposentadoria são a alta taxa de reposição (razão entre o benefício de aposentadoria e o salário de contribuição) e o Fundo de Garantia por Tempo de Serviço. O FGTS é uma poupança compulsória de 8% do salário anual capaz de garantir ao trabalhador 2,2 salários anuais ao se aposentar. Outros ingredientes que garantem o padrão de consumo: a redução dos impostos e a saída dos filhos de casa.

“Ao garantir taxas de reposição tão altas, o INSS impede que a perspectiva de rendimentos decrescentes com a idade opere como incentivo para a poupança durante a fase ativa”, afirmam os autores.

Artigo premiado

A pesquisa teve como base a dissertação de mestrado profissional em Economia de Minari, sob orientação de Brito. Juntos, os autores escreveram o artigo acadêmico “Será que o brasileiro está poupando o suficiente para se aposentar? (Is the Brazilian saving enough to retire?)”, escolhido como o melhor de 2015 da Revista Brasileira de Finanças, publicação oficial da Sociedade Brasileira de Finanças (SBFin), principal associação do país de pesquisadores nesta área.

Saiba mais sobre o alumnus Paulo Minari nesta entrevista para a Alumni News.

Publicado no volume 13 da revista acadêmica, em janeiro de 2015, uma versão anterior pode ser acessada aqui: Será que o brasileiro está poupando o suficiente para se aposentar?