Insper e Grupo Santander divulgam o 4º resultado do IC-PMN.

Insper Instituto de Ensino e Pesquisa

Empresários de pequenos e médios negócios estão otimistas para o quarto trimestre

Os empresários de pequenos e médios negócios acreditam no desenvolvimento da economia e dos negócios, mas mostram cautela quando o assunto é investimentos ou contratação. É o que aponta a quarta medição do Índice de Confiança dos Empresários de Pequenos e Médios Negócios no Brasil (IC-PMN), divulgado hoje pelo Insper e Grupo Santander Brasil. O indicador, cuja divulgação começou em novembro do ano passado, aponta as expectativas dos empresários em relação ao desempenho da economia do País, do seu ramo de atividade e de sua empresa.

Construído em uma escala de 0 a 100 pontos, sendo 100 o nível máximo de confiança, o 4º IC-PMN passou de 64,3 (número apurado em junho) para 66,8 pontos. Na comparação com o resultado divulgado em junho deste ano, o aumento apurado foi de 2,5 pontos – ou 3,8%. O Índice mostra que os empresários de pequenos e médios negócios estão mais otimistas quanto às perspectivas para o último trimestre de 2009.

O desempenho geral da economia foi o indicador que apresentou o maior crescimento entre as questões analisadas, passando de 61,6 para 66 pontos – o que representa um aumento de 7,1%. Já o indicador que registrou menor crescimento está ligado à realização de novos investimentos: subiu de 64,2 para 64,5 pontos. O resultado indica que os empresários ainda estão cautelosos quanto à retomada efetiva da economia e, desta forma, sinalizam que poderão postergar investimentos. Outro dado que aponta cautela do setor é o que se refere à contratação de empregados (60,8 pontos), o menor resultado entre os apurados pelo IC-PMN de setembro. A confiança em relação ao desenvolvimento do seu próprio negócio, por outro lado, aumentou neste mês, somando 71,3 pontos, o mais elevado nível dentre todas as questões analisadas pelo Índice.

 “É importante saber que os empresários estão mais confiantes no desenvolvimento do seu próprio negócio. Isso vem ao encontro do objetivo do Grupo Santander Brasil, que é apoiar o segmento de pequenos e médios negócios na economia brasileira”, diz Ede Viani, diretor de Pequenas e Médias Empresas do Grupo Santander Brasil.

Entre os diferentes ramos de atividade, verificou-se que o comércio (67,8 pontos) está mais otimista que indústria e serviços (ambos com 65,8 pontos). Em comparação com a coleta anterior, em março, o setor de serviços apresentou a maior recuperação na confiança (4,7%) e a indústria a menor recuperação (2,4%).

 “Mais uma vez os empresários de pequenos e médios negócios indicaram a recuperação do mercado. Eles representam uma  parcela importante da economia do Brasil e a opinião deles reflete a expectativa de recuperação ainda para este ano. Nestas quatro edições do IC-PMN, temos observado que o índice é um instrumento consistente de previsão do movimento da economia”, afirma Danny Claro, coordenador do Centro de Pesquisas em Estratégia do Insper.

O levantamento do quarto IC-PMN foi feito a partir das respostas de 1.200 empresários das cinco regiões do País e de três ramos de atividade (comércio, serviços e indústria). Fazem parte da mostra empresas que faturam até R$ 20 milhões/ano.

Para acessar o relatório do 4º Índice IC-PMN clique aqui.

Veja o texto completo da pergunta extra correspondente

Setembro/2009

voltar

Fale com o CPE

cpe@insper.edu.br

Insper
linkedin facebook twitter youtube flickr

Insper

Rua Quatá, 300 - Vila Olímpia
- São Paulo/SP -
Brasil
| CEP: 04546-042
| Tel:
(11) 4504-2400

Webmail | Intranet Corporativa
Todos os direitos reservados

Mapa do site Notícias Acessibilidade Fale conosco