Desenvolvendo a atenção primária em saúde no SUS de Diadema

Insper Instituto de Ensino e Pesquisa

Autores/Pesquisadores: Carlos Alberto Suslik e Flavius Augusto Olivetti Albieri

Área: Administração, Organizações e Estratégia (AE)

 

Código: AE-P0022/AE-P0022-TN

 

Em uma  5º reunião do Colegiado Gestor  da Secretaria Municipal de Saúde de Diadema e ainda não havia Plano Municipal de Saúde elaborado para a nova gestão do governo que assumira no ano. Muitas situações  ocorriam no dia-a-dia naquele gabinete que não permitia, com tanta pressa,  discutir o rumo a ser tomado pela nova equipe gestora. Dra. Aparecida L. Pimenta, médica sanitarista, doutora em saúde pública e atual detentora da cadeira  de Secretária Municipal de Saúde estava preocupada com o orçamento de sua pasta já que havia necessidades de algumas mudanças, mas não enxergava com facilidade novos recursos para serem aplicados em suas novas ações. Os atuais indicadores de qualidade do SUS – Sistema Único de Saúde – dentro do município estagnaram e alguns até pioraram. Havia necessidade de ações estratégicas para que oferecer melhores serviços de saúde para aquela população. Era sabido que em 2008, a Prefeitura Municipal de Diadema destinou 31,05% de seu orçamento em saúde e a média de investimento do município nos últimos quatro anos foi de 29,63%, sabendo que somente 15% eram o recomendado pela Emenda Constitucional 29 do país para se investir em saúde em um município.

Seria hora de reconsiderar o modelo de atenção em saúde implantado no município? E complementar a rede assistencial com mais reformas, mais equipamentos, mais médicos generalistas e  especialistas?  Talvez consolidar a rede de serviços já existente em Diadema e investir na qualificação da atenção voltada para integralidade, tanto no que diz respeito à maior integração dos serviços e áreas, como integralidade do cuidado? Ela sabia que sua pasta era uma forte marca dos governos antecessores e nada podia sair fora daquilo do que era esperado pela população diademense.

 

Objetivos de aprendizagem

O principal objetivo do caso é apontar vantagens e desafios que enfrenta um gestor de um sistema de saúde, seja ele público ou privado, a partir da decisão para uma possível mudança do modelo de atenção ancorado nos serviços de urgência e emergência hospitalares para o fortalecimento do cuidado em saúde na rede de atenção primária no município. O caso discute políticas de saúde, sobretudo a brasileira, nos três níveis – municipal, estadual e federal –, além de estratégias e aplicabilidade organizacional do modelo de atenção nas redes de atenção à saúde da população do município de Diadema, em São Paulo. Permite refletir sobre o tratamento integral desejável – e muitas vezes difícil de alcançar – contra o tratamento pontual, que resolve apenas o problema imediato, mas que, apesar da baixa resolutividade, aparentemente atende ao desejo do paciente. Mostra também que, na construção de um modelo para a saúde, o gestor deve considerar tanto os desejos quanto as necessidades, respectivamente traduzidos na epidemiologia pela demanda do serviço e pelas taxas de morbidade e mortalidade.

O caso foi desenhado para ser aplicado idealmente no curso de MBA em Saúde e nas disciplinas de Políticas de Saúde e Regulação e Fundamentos de Gestão em Saúde, mas pode subsidiar temas como administração de sistemas, organização de sistemas e serviços, governança de sistemas e serviços e tomada de decisão/estratégias.

 

Faça o download dos estudos de caso do Insper

voltar

Insper
linkedin facebook twitter youtube flickr

Insper

Rua Quatá, 300 - Vila Olímpia
- São Paulo/SP -
Brasil
| CEP: 04546-042
| Tel:
(11) 4504-2400

Webmail | Intranet Corporativa
Todos os direitos reservados

Mapa do site Notícias Acessibilidade Fale conosco