Home/Agenda de Eventos/Por que é Difícil Fazer Reformas Econômicas no Brasil?

Para voltar a crescer e diminuir a desigualdade de renda, o Brasil precisa fazer um amplo conjunto de reformas econômicas: previdência, tributos, mercado de crédito, ambiente de negócios, segurança jurídica, abertura comercial, privatização, políticas sociais e educação.

O livro Por que é Difícil fazer Reformas Econômicas no Brasil? Se dedica a identificar as fontes das dificuldades enfrentadas. Para tanto, estudou experiências de mais de uma dezena de países que foram bem-sucedidos na missão de transformar suas economias, buscando entender o que criou condições propícias em cada um dos casos.

A obra do autor Marcos Mendes, publicada pelo Grupo GEN | Editora Atlas, cataloga as características que facilitam a aprovação de reformas, que vão desde a dimensão geográfica do país, até a sua estrutura política e constitucional, passando por fatores de coesão social, como nível de desigualdade e violência.

Com base no diagnóstico traçado, o livro apresenta 20 diretrizes que ajudariam na dura tarefa de reformar a economia e de evitar que políticas equivocadas venham a emperrar o avanço do país em direção à prosperidade.

Para debater os temas tratados pelo novo livro, Marcos Mendes, Marcos Lisboa e Zeina Latif participaram de evento no Insper.

Veja como foi o evento:

Realização:

Logotipo do Insper e Gen Atlas

 

Informações

Data: 25/09/2019

Horário: 12h00

Local: Luiz Martins de Souza Dantas – 2º andar – Insper

Entrada: Rua Quata, 300 – Vila Olímpia - São Paulo

Estacionamento: Rua Uberabinha, s/n – Vila Olímpia - São Paulo

Programação

12h00

Abertura Institucional

12h15

Debate

13h30

Encerramento

INSCRIÇÕES

Evento gratuito e sujeito à lotação do espaço.

É de conhecimento do participante que eventuais filmagens e/ou fotografias realizadas no evento poderão ser utilizadas em qualquer meio de mídia para uso institucional.

25/09/2019 - Por que é Difícil Fazer Reformas Econômicas no Brasil?

  • DECRETO Nº 58.228, DE 16 DE MAIO DE 2018 Dispõe sobre o uso do nome social e o reconhecimento da identidade de gênero de travestis, mulheres transexuais e homens trans em todos os órgãos da Administração Pública Municipal Direta e nas autarquias, fundações, empresas públicas e sociedades de economia mista municipais, bem como nos serviços sociais autônomos instituídos pelo Município, concessionárias de serviços públicos municipais e pessoas jurídicas referidas no artigo 2º, inciso I, da Lei Federal nº 13.019, de 31 de julho de 2014, que mantenham qualquer espécie de ajuste com a Administração Municipal.
  • Acessibilidade

    O campus do Insper está em conformidade com os padrões nacionais estabelecidos para acessibilidade, de forma que as pessoas com deficiência física encontrem as condições necessárias para circular com autonomia. Conheça nossas ações de Acessibilidade.
    Para garantir a qualidade dos serviços contratados, as solicitações para Interpretação em Libras devem ser feitas até 48 horas antes do evento.
  • Este campo é para fins de validação e não deve ser alterado.

CONHEÇA OS PALESTRANTES

Marcos Mendes

É graduado e mestre em Economia pela Universidade de Brasília. Doutor em Economia pela Universidade de São Paulo. Desde 1989 trabalha no Governo Federal, já tendo atuado na Secretaria do Tesouro Nacional, no Banco Central e no Senado Federal. De 2016 a 2018 foi Chefe da Assessoria Especial do Ministro da Fazenda. Em 2006 organizou e publicou o livro Gasto Público Eficiente: 91 propostas para o desenvolvimento do Brasil (Editora Topbooks). Em 2014 publicou Por que o Brasil cresce pouco? (Elsevier Editora), antecipando a forte crise econômica que se abateria no país a partir daquele ano. É autor de vários capítulos de livros e artigos sobre finanças públicas e questões institucionais brasileiras. Desde junho de 2019 é colunista de Economia da Folha de S.Paulo.

Marcos Lisboa

Atual presidente do Insper, de 2013 a abril de 2015 atuou como vice-presidente. De 2006 a 2009, atuou como diretor executivo do Itaú Unibanco e, de 2009 a 2013, como vice-presidente. De 2005 a 2006, foi presidente do Instituto de Resseguros do Brasil e atuou como secretário de Política Econômica do Ministério da Fazenda de 2003 a 2005. Marcos foi professor assistente de economia na Escola Brasileira de Economia e Finanças da Fundação Getúlio Vargas entre 1998 e 2002 e, anteriormente, como professor assistente de Economia no Departamento de Economia da Universidade de Stanford, de 1996 a 1998. Marcos é Ph.D. em economia pela Universidade da Pensilvânia.

Zeina Latif

Mestre e doutora em economia pela Universidade de São Paulo (USP), foi economista sênior para América Latina do Royal Bank of Scotland (RBS), economista-chefe do ING no Brasil, com passagens pelos bancos Real e HSBC, economista sênior da consultoria Tendências e professora do Ibmec. Em 2006, recebeu da Revista Forbes o prêmio Mulheres mais Influentes do Brasil, na categoria Economia e, em 2008, o prêmio de Melhor Economista-Chefe pela Ordem dos Economistas do Brasil.