Home/Agenda de Eventos/Jornalismo a Quente: a importância do correspondente estrangeiro

Neste momento, em que a economia, a política, a ciência e a cultura em cada sociedade dependem, como jamais antes, do que acontece além das fronteiras nacionais e a interdependência entre os países, em todos os aspectos, é mais evidente e relevante do que nunca, a importância do correspondente estrangeiro dos grandes meios de comunicação deveria ter se tornado igualmente ostensiva. Esta deveria ser sua era de ouro.

No entanto, este também é o período em que veículos tradicionais do jornalismo ocidental enfrentam dilemas estruturais sem precedentes e dificuldades financeiras que constrangem muito sua capacidade de manter repórteres permanentemente em cidades distantes de sua sede para atender a uma demanda do público que é menos intensa do que a existente por informação sobre assuntos nacionais, os quais são cobertos sem as despesas que a correspondência internacional exige.

O início do século 21, quando a globalização chega ao apogeu, é assim, contraditoriamente, o período em que a necessidade da atuação dessa categoria de jornalista é, em princípio, mais urgente e justificável, mas também em que ela se tem contraído como raramente antes, devido à impossibilidade de as empresas darem conta de seus elevados custos.

Quais as perspectivas para essa função nos próximos anos?

Para discutir o assunto, o Insper reuniu Moisés Rabinovici (EBC), Lourival Sant’Anna (Estadão/CBN), Luciana Coelho (Folha) e Carlos Eduardo Lins da Silva (Insper) como mediador do debate.

Informações

Data: 5/09/2019

Horário: 09h00

Local: Sala Luiz Martins de Souza Dantas - 2º andar- Insper

Entrada: Rua Quatá, 300 - Vila Olímpia

Estacionamento: Rua Uberabinha, s/n - Vila Olímpia

Programação

09h00

Recepção

12h00

Encerramento

INSCRIÇÕES

  • Este campo é para fins de validação e não deve ser alterado.

CONHEÇA OS PALESTRANTES

Moisés Rabinovici

58 anos de jornalismo, 20 como correspondente no Oriente Médio, EUA e França (Grupo Estado e Época); 11 como diretor de jornal; três como âncora de TV, seis prêmios Esso coletivos; e criador do Museu da Corrupção. Autor do livro Escritos com a Pele, que está sendo lançado este mês.

Lourival Sant’Anna

Repórter internacional há 30 anos. Fez reportagens em 70 países, combinando texto, foto, vídeo e rádio. É colunista do Estadão, comentarista da CBN, repórter freelancer da Exame. Autor do livro Minha Guerra contra o Medo: o que o risco de morte ensina sobre a vida, lançado em julho.

Luciana Coelho

Colunista e editora do núcleo Cidades da Folha de S.Paulo, onde trabalha desde 2002. Foi editora de Mundo, editora-adjunta de Mercado e, por quatro anos, correspondente nos EUA e na Europa pela Folha.

Carlos Eduardo Lins da Silva

Professor do Insper. Foi correspondente da Folha em Washington. Autor do livro Correspondente Internacional.